quarta-feira, 26 de junho de 2013

OS SEGUIDORES ATUAIS DA “TEOLOGIA” DE JUDAS ISCARIOTES


Parece-me que hoje há muitos seguidores da “teologia” de Judas Iscariotes. Não estou me referindo a nenhum suposto livro escrito pelo apóstolo-traidor, nem afirmo que exista uma doutrina sistemática de seus inexistentes ensinos. Refiro-me a um tipo de atitude para com Jesus Cristo que muito se aproxima do que Judas de fato foi e fez.
Antes gostaria de lembrar que Judas era o único judeu dentre todos os apóstolos. Tinha, portanto, de que se orgulhar perante os rudes pescadores galileus, como Simão Pedro. Essa é mesmo uma grande ironia bíblica, pois os judeus desprezavam não-judeus, principalmente galileus e samaritanos, considerados como um povo misturado com os gentios.
Judas foi escolhido por Jesus, disso não há absolutamente nenhuma dúvida (Mt 10.1-5; Mc 3.13-19; 6.7-13; Lc 9.1-6). Ele foi separado para o ministério apostólico, um verdadeiro “episcopado”, que, conforme anotação da Nova Versão Internacional, designa a “função pastoral”(At 1.15-20).
Judas assumiu a tesouraria do grupo que seguia a Jesus (Jo 12.6). Deve ter merecido essa confiança, pois ninguém entrega dinheiro a uma pessoa com reputação ruim.
Judas recebeu poder para expulsar demônios, curar enfermos, ressuscitar mortos, pregar o Evangelho (Mt 10.1,2; Mc 6.12; Lc 9.6). Ele não estava somente no time dos 70 que foram enviados de dois em dois para anunciar as Boas-Novas em cidades e aldeias de Israel (Lc 10.1-23) – ele estava num grupo mais seleto, de doze homens escolhidos sob oração (de Jesus ao Pai): o Colégio Apostólico.
Judas era na verdade ambicioso, mas seu discurso certa vez foi politicamente correto, social, em favor dos pobres, quando criticou Maria, irmã de Lázaro, que derramou perfume precioso sobre os pés de Jesus, em atitude de adoração (Mt 26.6-13; Mc 14.6-9; Jo 12.1-8). É certo que, se por um lado Marcos e Mateus dizem que essa recriminação foi feita por “alguns dos presentes” (Mc 14.4) ou “os discípulos” (Mt 26.8), o próprio Marcos deixa claro que “então, Judas Iscariotes, um dos Doze, dirigiu-se aos chefes dos sacerdotes a fim de lhes entregar Jesus. A proposta muito os alegrou, e lhe prometeram dinheiro. Assim, ele procurava uma oportunidade para entregá-lo” (Mc 14.10,11). Uma coisa tem que ver com a outra: o dissimulado era também ganancioso.
O apóstolo Judas, o judeu Judas, o tesoureiro Judas, o “altruísta” Judas revelou-se o traidor de Cristo. Ele escolheu seu próprio caminho, entendeu de vender seu amigo Jesus por um punhado de moedas. Ali estava um homem sem integridade, uma pessoa mesquinha. E, mesmo depois de entender que havia pecado, não se arrependeu, ficando tão-somente com o sentimento de remorso que toma conta de quem se sente culpado e não procura o perdão (Mt 27.1-10).
“Mas o que fez o personagem Judas”? “Que mal há nisso”? Essas perguntas seriam feitas pelos fariseus, saduceus, sacerdotes e anciãos que entregaram Jesus aos romanos motivados por inveja. Afinal, por mais que tenha recebido dinheiro em troca, seu ofício foi o de cumprir o que a religião oficial exigia – matar os que supostamente se levantavam contra Moisés e o Templo. E esse foi o argumento oficial contra o Mestre nazareno.
Se Judas fez o que fez, e ainda levou dinheiro, cumpriu o dever e saiu no lucro, diriam os cristãos materialistas de hoje, os pragmáticos, os egoístas, os alienados de Deus, os que seguem a boiada, os que traem princípios em favor de prestígio e poder.
A teologia de Judas Iscariotes – por favor, saiba que a Epístola Geral de Judas não foi escrita por ele, mas outro Judas! – eu dizia que a teologia de Judas Iscariotes é perfeitamente compatível com essa prática de ficar ao lado dos “vencedores” deste mundo, em vez de ficar com o crucificado, com o sofrido, com o cadáver que dizem que ressuscitou, com o homem que pregava arrependimento e era seguido por ex-prostitutas, ex-bêbados, ex-traidores da pátria (caso de Mateus e Zaqueu), ex-guerrilheiros (caso de Simão, o zelote), ex-tudo o que existe de ruim nessa vida. Que tipo de teologia era aquela de Jesus, diriam os hipócritas e materialistas…Que tipo de teologia era aquela que não deu em nada, ou melhor, deu em morte, “derrota”, dispersão, divisão de famílias, perseguição pelo governo?
Tome cuidado, leitor, para que você não seja um dos seguidores do apóstolo Judas Iscariotes. Não adianta argumentar que ele operou milagres, isso não adiantará no Dia do Juízo (Mt 7.22,23). Não adianta evocar prerrogativas de nascimento, credibilidade humana ou apostolado. O que importa mesmo é não trair a Cristo, o que significa não vender princípios cristocêntricos por moedas de prata, dólares ou reais. E não vale sequer usar a tese de que os métodos da traição fazem a igreja crescer e aparecer para a sociedade. Quem não assume os princípios da Cruz deve ter estancado em algum momento, quem sabe no Getsêmani quem sabe com um beijo aparentemente gentil (Mt 26.47-56; Mc 14.43,44; Lc 22.47; Jo 18.1-3).

***
Do blog do Pr Silas Figueira.

terça-feira, 18 de junho de 2013

UNÇÃO DE ÓRGÃOS SEXUAIS A MAIS NOVA HERESIA NO PEDAÇO










Outro dia fiquei sabendo de uma igreja em Niterói que promoveu uma campanha de abstinência sexual. Baseada na passagem em que Paulo ensina que devemos “consagrar nossos corpos” a Deus, a liderança da dita igreja, entendeu que deveria ungir os órgãos sexuais de todos aqueles que estavam frequentando seus cultos. Pois é , sabe o que é pior? O povo se submeteu a ser ungido.
Soube também de uma outra comunidade cujo pastor resolver orar pelos órgãos sexuais dos membros de sua igreja e para tanto, convidou a todos a imporem as mãos sobre seus aparelhos reprodutores.
Prezado amigo, vamos combinar uma coisa? A capacidade que alguns tem de fabricar doutrinas e práticas esquisitas é de assustar qualquer um. Ora, se não bastasse a sandice de ungir carros, objetos e imóveis, eis que surge nesse tupiniquim país a prática da unção com óleo nas genitálias dos fiéis.
Por favor, responda sinceramente em que lugar nas Escrituras encontramos Jesus orientando os discípulos ungirem o sexo dos homens? Ou em que momento vemos os apóstolos Pedro, Paulo e Tiago instruindo os cristãos a ungirem os órgãos sexuais dos santos? Em nenhum lugar não é verdade?
Queridos irmãos sabe qual é o problema da igreja brasileira? Ela abandonou as Escrituras. Por que se tivesse fazendo da Bíblia sua única e exclusiva regra de fé teria há muito tempo rechaçado as heresias apregoadas pelos falsos profetas.
Outro dia enquanto participava de um programa de televisão no Rio de Janeiro, um dos debatedores, pastor evangélico teve a cara de pau de dizer que a Bíblia não valia de nada e que tudo aquilo que nela está escrito não passam de boas histórias. Claro que eu o refutei na hora, mesmo porque, não dá pra ouvir tamanha sandice e ficar calado não é verdade?
Isto posto, termino esse artigo trazendo alguns conselhos práticos a irmãos em Cristo que se encontram fazendo parte de igrejas com forte “apelo sexual”:
1-) Saiam imediatamente de igrejas cujos pastores em suas mensagens pregam a abstinência sexual no casamento. “O Espírito diz claramente que nos últimos tempos alguns abandonarão a fé e seguirão espíritos enganadores e doutrinas de demônios. Tais ensinamentos vêm de homens hipócritas e mentirosos, que têm a consciência cauterizada e proíbem o casamento e o consumo de alimentos que Deus criou para serem recebidos com ação de graças pelos que creem e conhecem a verdade.” 1 Timóteo 4:1-3
2-) Saiam imediatamente de igrejas cujos pastores ensinam que os seus órgãos sexuais precisam ser consagrados e ungidos e que para isso, precisam ser tocados. “Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus. E é o que alguns têm sido; mas haveis sido lavados, mas haveis sido santificados, mas haveis sido justificados em nome do Senhor Jesus, e pelo Espírito do nosso Deus.Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma. Os alimentos são para o estômago e o estômago para os alimentos; Deus, porém, aniquilará tanto um como os outros. Mas o corpo não é para a prostituição, senão para o Senhor, e o Senhor para o corpo. Ora, Deus, que também ressuscitou o Senhor, nos ressuscitará a nós pelo seu poder.Não sabeis vós que os vossos corpos são membros de Cristo? Tomarei, pois, os membros de Cristo, e fá-los-ei membros de uma meretriz? Não, por certo. Ou não sabeis que o que se ajunta com a meretriz, faz-se um corpo com ela? Porque serão, disse, dois numa só carne. Mas o que se ajunta com o Senhor é um mesmo espírito. Fugi da prostituição. Todo o pecado que o homem comete é fora do corpo; mas o que se prostitui peca contra o seu próprio corpo. Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus.” 1 Coríntios 6:10-20
3-) Saiam imediatamente de Igrejas cujo discurso, pregação e ensino esteja unicamente fundamentadas em mensagens de teor sexual.
Lembre-se as Escrituras nos ensinam que nos últimos dias surgiriam falsos mestres e falsas doutrinas:
“Cuidado com os falsos profetas. Eles vêm a vocês vestidos de peles de ovelhas, mas por dentro são lobos devoradores. Vocês os reconhecerão por seus frutos. Pode alguém colher uvas de um espinheiro ou figos de ervas daninhas? Semelhantemente, toda árvore boa dá frutos bons, mas a árvore ruim dá frutos ruins. A árvore boa não pode dar frutos ruins, nem a árvore ruim pode dar frutos bons. Toda árvore que não produz bons frutos é cortada e lançada ao fogo. Assim, pelos seus frutos vocês os reconhecerão! Mateus 7:15-20
Naquele que é a verdade,

Pr. Renato Vargens

A MAIS NOVA APOSTOLA DO BRASIL, RENE TERRA NOVA E SUAS LOUCURAS

Rene Terra Nova concede à sua mãe o título de " Apostola Matriarca, a mulher do útero profético apostólico "




Rene Terra Nova que andava meio sumido este ano, voltou com a corda toda. Depois de autodeclarar-se apóstolo, patriarca e papa e ser digno de que lhe beijem os pés e lambam-lhe a cara...  Podem conferir nas matérias a abaixo! O troço é sério!

Pois bem, não satisfeito com tanta honra e de olho no título de Jeová Jr, Rene  prepara o legado de honra de sua linhagem real e nomeia a sua própria mãe, a genitora de 12,  um tipo de co-redentora do útero profético... Em breve VIRGEM e IMACULADA.

Gizuz que se cuide e abra o olho, pois nossa senhora  parece que já dançou... Pelo menos em Manaus! 

Pelapontequecaiu! Sacoqueencardiu! Caracoles! 
Gizus nos defenda! Vade retro! Paidégua!


 Nas palavras do próprio Terra Nova, que podem ser conferidas AQUI:


Hoje será Reconhecida Apostola Matriarca, a mulher do útero profético apostólico. Guiomar Terra Nova. Obrigado Senhor por essa mulher de avivamento!!


Em breve:

Ave Guiomar!
Cheia de gracinha
O patriarca é convosco


(E por ai vai que tô no ponto de escrever o que vou me arrepender.... )




E o mais incrível são os imbecis nos comentários da rede social gritando Ave! e achando lindo. Sofreram lavagem cerebral ou é muita maconha mesmo... Vai saber!



Chore (ou ria) também lendo

Terra Nova tem os outros apóstolos aos seus pés


As loucuras de Renê Terra Nova, o papa gospel

Rene Terra Nova raspadinho é mais ungido porque é fresquinho? Ou é mais ungidinho porque raspa mais?



Leia Mais em
: http://www.genizahvirtual.com/

sexta-feira, 14 de junho de 2013

O PROTESTO DA POPULAÇÃO, A VIOLÊNCIA DO ESTADO, FUTEBOL E A VERGONHA DE SER BRASILEIRO





Vai começar a copa das confederações. E vamos combinar uma coisa? É tudo aquilo que o governo brasileiro precisava não é verdade? Sempre foi assim! O país chafurdado em corrupção e de repente eis que surge um campeonato de futebol para desviar a atenção do povo.

Pois é, em breve ouviremos o povo cantar: “ Eu sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor”.

Sou obrigado a confessar que toda vez que ouço milhares de vozes em uníssono gritando entusiasticamente penso com meus botões: orgulho de que?

Ora, a violência se multiplica assustadoramente em todos os grandes centros. Ontem mesmo, a polícia desceu o cacete na população que protestava por mais um aumento abusivo do preço das passagens de ônibus, isso sem falar no vandalismo praticado por alguns do povo que de forma irresponsável depredaram o patrimônio público.

Somente este ano milhares de indivíduos tiveram suas vidas ceifadas em virtude da violência em todo território nacional. A nossa taxa tributária é uma das mais altas do mundo; nossos serviços públicos são da pior qualidade; nossa educação é pífia; nossos hospitais falidos; nosso Congresso nacional ou caso prefiram “casa de tolerância” é um dos mais inoperantes de todo planeta, onde dia após dia se multiplicam o número de escândalos fazendo-nos ruborizar diante de tanta desonestidade.

Orgulho de que? Como bem afirmou Affonso Romano de Sant'Anna, eu tenho é vergonha de ser brasileiro.

“Que vergonha, meu Deus!
Ser brasileiro e estar crucificado num cruzeiro
erguido num monte de corrupção.
Antes nos matavam de porrada e choque nas celas da subversão.
Agora nos matam de vergonha e fome exibindo estatísticas na mão.
Estão zombando de mim. Não acredito.
Debocham a viva voz e por escrito.
É abrir jornal, lá vem desgosto.
notícia é um vídeo-tapa no rosto.
vez é mais difícil ser brasileiro.”

Tenho vergonha deste país promiscuo, onde o jeitinho é quem dita as regras. Tenho vergonha dos políticos safados que se locupletam do poder publico, enriquecendo suas contas bancárias lixando-se para as dores dos pobres e miseráveis. Tenho vergonha dos contrabandistas, dos cafetões e cafetinas de colarinho branco, dos que traficam influência, de assassinos, terroristas, corruptos de todos os tipos que transformaram esta nação em covil de salteadores.

Isto posto, afirmo com todas as LETRAS:

Eu APOIO toda manifestação publica ORDEIRA pelos direitos do povo. Repudio veementemente a violência, o abuso de poder e o descaso do poder público pelo cidadão. Esse país é uma vergonha! Bilhões de Reais gastos em elefantes brancos é a marca de políticos inescrupulosos que só pensam em si mesmos. Não, o protesto não deve ser por R$ 0,20 somente. Deve ser muito mais do que isso. Deve-se protestar pela fortuna gasta no Maracanã, no Mané Garrincha e outros tantos mais. Pelo descaso com a saúde, com a educação e com a violência que se multiplica a olhos vistos no Brasil.

Que Deus tenha misericórdia do Brasil.

Renato Vargens

quinta-feira, 13 de junho de 2013

ELES AMARAM MAIS O MUNDO DO QUE A DEUS





Quando me converti há 26 anos atrás, muitos daqueles que comigo conviviam pensaram que eu tivesse enlouquecido. 

Pois bem, lembro de um amigo cujo nome era José (Nome fictício) que mais ou menos na mesma época da minha conversão, começou a frequentar uma igreja. Lembro que ao encontrá-lo na praia, ouvi dos seus lábios a seguinte expressão: -"Renato, Deus é muito bom! Estou muito feliz com ele. Me "converti" e estou indo todos os domingos na igreja X. 

Ao ouvir o testemunho do meu amigo, vibrei e o incentivei a continuar firme no Senhor. 

Um ano depois, o encontrei novamente na praia e sem titubeios perguntei: - "E aí José, continua firme no Senhor? " 

Para minha surpresa ele me respondeu: - "Xi cara, não deu não! O mundo é bom demais. Voltei pro mundão e estou curtindo a vida adoidado."

Essa foi a última vez que o vi. Um mês depois recebi a noticia de que meu amigo tinha morrido de overdose de cocaína.

Um outro exemplo é o de uma jovem denominada Maria. (nome ficticio). Maria, vivia dizendo que a igreja era castradora e que queria curtir a vida. Volta e meia ela compartilhava com suas amigas que sentia que estava chegando a hora de desfrutar do prazer do sexo.

Pois bem, numa noite quente de verão Maria se envolveu sexualmente com um colega de classe. Essa foi a porta de entrada para uma mundo de promiscuidade. Maria, engravidou, abandonou a escola, a igreja e passou a viver uma vida infernal.

Caro leitor, por acaso você já deu conta o fato de que muitos preferem os prazeres deste mundo a comunhão do Senhor? Ora, quantos porvertura não são aqueles que em virtude dos prazerem deste século preferem uma vida de pecados?

O Apóstolo João ao escrever sua primeira epístola, orientou aos cristãos a não amarem o mundo, nem tampouco as coisas que nele há. Ora, vale a pena ressaltar que a expressão não ameis o mundo não está tratando especificamente das belezas deste planeta ou das pessoas que nele vivem, mas sim de um sistema que se opõe a Deus e sua Palavra.

Caro leitor, diante disto afirmo que os que "amam o mundo" estão em estreita comunhão com ele, dedicando-se aos seus valores, costumes e cultura. Em outras palavras,  Os que se comportam desta forma demonstram  que sua satisfação e prazer estão  naquilo que desagrada a Deus e ofende os princípios das Sagradas Escrituras. Esse pernicioso sentimento impede a comunhão do crente com o Senhor (1 Jo 2.15).

O Apóstolo Paulo, ao escrever sua espístola aos Romanos adverte aos cristãos a não se conformarem com este século.  O verbo “conformar” no original significa “ser modelado de acordo com o um padrão e refere-se à constante imitação de uma atitude ou conduta até que a pessoa se torne igual ao modelo. Neste perspectiva, a Bíblia ensina que o crente deve resistir, combater e não imitar os padrões de comportamento, a cultura e os valores mundanos, mesmo porque, aqueles que estão em Cristo devem viver a vida de forma diferenciada.


Pense nisso!

Renato Vargens.

quarta-feira, 12 de junho de 2013

EVANGÉLICOS E AS FESTAS JUNINAS



festa junina
A festa celebra o nascimento de João Batista, que virou um dos santos católicos. É realizada no dia 24 de junho com base no fato que João Batista havia nascido seis meses antes de Jesus (Lc 1:26,36). Se o nascimento de Jesus (Natal) é celebrado em 25 de dezembro, então o de João Batista é celebrado seis meses antes, em 24 de junho. É claro que estas datas são convenções, apenas, pois não sabemos ao certo a data do nascimento do Senhor.
A origem das fogueiras nas celebrações deste dia é obscura. Parece que vem do costume pagão de adorar seus deuses com fogueiras. Os druidas britânicos, segundo consta, adoravam Baal com fogos de artifício. Depois a Igreja Católica inventou a história que Isabel acendeu uma fogueira para avisar Maria que João tinha nascido. Outra lenda é que na comemoração deste dia, fogueiras espontâneas surgiram no alto dos montes.
Já a quadrilha tem origem francesa, sendo uma dança da elite daquele país, que só prosperou no Brasil rural. Daí a ligação com as roupas caipiras. Por motivos obscuros acabou fazendo parte das festividades de São João.
Fazem parte ainda das celebrações no Brasil (é bom lembrar que estas festas também são celebradas em alguns países da Europa) as comidas de milho – provavelmente associadas com a quadrilha que vem do interior – as famosas balas de “Cosme e Damião.” São realizadas missas e procissões, muitas rezas e pedidos feitos a São João. As comidas são oferecidas a ele.
Se estas festividades tivessem somente um caráter religioso e fossem celebradas dentro das igrejas como se fossem parte das atividades dos católicos, não haveria qualquer dúvida quanto à pergunta, “pode um evangélico participar?” Acontece que as festas juninas foram absorvidas em grande parte pela cultura brasileira de maneira que em muitos lugares já perdeu o caráter de festa religiosa. Para muitos, é apenas uma festa onde acendem-se fogueiras, come-se milho preparado de diferentes maneiras e soltam-se fogos de artifício, sem menção do santo, e sem orações ou rezas feitas a ele.
Paulo enfrentou um caso semelhante na igreja de Corinto. Havia festivais pagãos oferecidos aos deuses nos templos da cidade. Eram os crentes livres para participar e comer carne que havia sido oferecida aos ídolos? A resposta de Paulo foi tríplice:
- O crente não deveria ir ao templo pagão para estas festas e ali comer carne, pois isto configuraria culto e portanto, idolatria (1Cor 10:19-23). Na mesma linha, eu creio que os crentes não devem ir às igrejas católicas ou a qualquer outro lugar onde haverá oração, rezas, missas e invocação do São João, pois isto implicaria em culto idólatra e falso.
- O crente poderia aceitar o convite de um amigo pagão e comer carne na casa dele, mesmo com o risco de que esta carne tivesse sido oferecida aos ídolos. Se, todavia, houvesse alguém presente ali que se escandalizasse, o crente não deveria comer (1Cor 10:27-31). Fazendo uma aplicação para nosso caso, se convidado para ir a casa de um amigo católico neste dia para comer milho, etc., ele poderia ir, desde que não houvesse atos religiosos e desde que ninguém ali ficasse escandalizado.
- E por fim, Paulo diz que o crente pode comer de tudo que se vende no mercado sem perguntar nada. A exceção é causar escândalo (1Cor 10:25-26). Aplicando para nosso caso, não vejo problema em o crente comer milho, pamonha, mungunzá, etc. neste dia e estar presente em festas juninas onde não há qualquer vínculo religioso, desde que não vá provocar escândalos e controvérsias. Se Paulo permitiu que os crentes comessem carne que possivelmente vieram dos templos pagãos para os açougues, desde que não fosse em ambiente de culto, creio que podemos fazer o mesmo, ressalvado o amor que nos levaria à abstinência em favor dos que se escandalizariam.
Segue abaixo parte de um livro meu onde abordo com mais detalhes o que Paulo ensinou aos coríntios em casos envolvendo a liberdade cristã.
O CULTO ESPIRITUAL, Augustus Nicodemus Lopes. Cultura Cristã, 2012.
“A situação de Corinto era diferente. O problema lá não era o mesmo tratado no concílio de Jerusalém. O problema não era os escrúpulos de judeus cristãos ofendidos pela atitude liberal de crentes gentios quanto à comida oferecida aos ídolos. Portanto, a solução de Jerusalém não servia para Corinto. É provavelmente por esse motivo que o apóstolo não invoca o decreto de Jerusalém.[1] Antes, procura responder às questões que preocupavam os coríntios de acordo com o princípio fundamental de que só há um Deus vivo e verdadeiro, o qual fez todas as coisas; que o ídolo nada é nesse mundo; e que fora do ambiente do culto pagão, somos livres para comer até mesmo coisas que ali foram sacrificadas.
1. A primeira pergunta dos coríntios havia sido: era lícito participar de um festival religioso num templo pagão e ali comer a carne dos animais sacrificados aos deuses? Não, responde Paulo. Isso significaria participar diretamente no culto aos demônios onde o animal foi sacrificado (1 Co 10.16-24). Paulo havia dito que os deuses dos pagãos eram imaginários (1 Co 10.19). Por outro lado, ele afirma que aquilo que é sacrificado nos altares pagãos é oferecido, na verdade, aos demônios e não a Deus (10.20). Paulo não está dizendo que os gentios conscientemente ofereciam seus sacrifícios aos demônios. Obviamente, eles pensavam que estavam servindo aos deuses, e nunca a espíritos malignos e impuros. Entretanto, ao fim das contas, seu culto era culto aos demônios. [2] Paulo está aqui refletindo o ensino bíblico do Antigo Testamento quanto ao culto dos gentios:
Sacrifícios ofereceram aos demônios, não a Deus… (Dt 32.17)
…pois imolaram seus filhos e suas filhas aos demônios (Sl 106.37).
O princípio fundamental é que o homem não regenerado, ao quebrar as leis de Deus, mesmo não tendo a intenção de servir a Satanás, acaba obedecendo ao adversário de Deus e fazendo sua vontade. Satanás é o príncipe desse mundo. Portanto, cada pecado é um tributo em sua honra. Ao recusar-se a adorar ao único Deus verdadeiro (cf. Rm 1.18-25), o homem acaba por curvar-se diante de Satanás e de seus anjos.[3] Para Paulo, participar nos festivais pagãos acabava por ser um culto aos demônios. Por esse motivo, responde que um cristão não deveria comer carne no templo do ídolo. Isso eqüivaleria a participar da mesa dos demônios, o que provocaria ciúmes e zelo da parte de Deus (1 Co 10.21-22). Paulo deseja deixar claro para os coríntios “fortes”, que não tinham qualquer intenção de manter comunhão com os demônios, que era a atitude deles em participar nos festivais do templo que contava ao final. Era a força do ato em si que acabaria por estabelecer comunhão com os demônios.[4]
2. Era lícito comer carne comprada no mercado público? Sim, responde Paulo. Compre e coma, sem nada perguntar (1 Co 10.25). A carne já não está no ambiente de culto pagão. Não mantém nenhuma relação especial com os demônios, depois que saiu de lá. Está “limpa” e pode ser consumida.
3. Era lícito comer carne na casa de um amigo idólatra? Sim e não, responde Paulo. Sim, caso não haja, entre os convidados, algum crente “fraco” que alerte sobre a procedência da carne (1 Co 10.27). Não, quando isso ocorrer (1 Co 10.28-30).
O ponto que desejo destacar é que para o apóstolo Paulo a carne que havia sido sacrificada aos demônios no templo pagão perdia a “contaminação espiritual” depois que saia do ambiente de culto. Era carne, como qualquer outra. É verdade que ele condenou a atitude dos “fortes” que estavam comendo, no próprio templo, a carne sacrificada aos demônios. Mas isso foi porque comer a carne ali era parte do culto prestado aos demônios, assim como comer o pão e beber o vinho na Ceia é parte de nosso culto a Deus. Uma vez encerrado o culto, o pão é pão e o vinho é vinho. Aliás, continuaram a ser pão e vinho, antes, durante e depois. A mesma coisa ocorre com as carnes de animais oferecidas aos ídolos. E o que é verdade acerca da carne, é também verdade acerca de fetiches, roupas, amuletos, estátuas e objetos consagrados aos deuses pagãos. Como disse Calvino,
Alguma dúvida pode surgir se as criaturas de Deus se tornam impuras ao serem usadas pelos incrédulos em sacrifícios. Paulo nega tal conceito, porque o senhorio e possessão de toda terra permanecem nas mãos de Deus. Mas, pelo seu poder, o Senhor sustenta as coisas que tem em suas mãos, e, por causa disto, ele as santifica. Por isso, tudo que os filhos de Deus usam é limpo, visto que o tomam das mãos de Deus, e de nenhuma outra fonte.[5]”
_______________
[1] Note que Paulo não teve qualquer problema em anunciar o decreto em Antioquia, o que produziu muito conforto entre os irmãos (At 15.30-31).
[2] Não somente Paulo, mas os cristãos em geral tinham esse conceito. João escreveu: “Os outros homens, aqueles que não foram mortos por esses flagelos, não se arrependeram das obras das suas mãos, deixando de adorar os demônios e os ídolos de ouro, de prata, de cobre, de pedra e de pau, que nem podem ver, nem ouvir, nem andar” (Ap 9.20).
[3] Cf. Charles Hodge, A Commentary on 1 & 2 Corinthians (Carlisle, PA: Banner of Truth, 1857; reimpressão 1978) 193.
[4] Hodge (1 & 2 Corinthians, 194) chama a nossa atenção para o fato de que o mesmo princípio se aplica hoje aos missionários que, por força da “contextualização”, acabam por participar nos festivais pagãos dos povos. Semelhantemente, os protestantes que participam da Missa católica, mesmo não tendo intenção de adorar a hóstia, acabam cometendo esse pecado, ao se curvar diante dela.
[5] João Calvino, Exposição de 1 Coríntios, em Comentário à Sagrada Escritura, trad. Valter G. Martins (São Paulo: Paracletos, 1996) 320.
***
Por Augustus Nicodemus

APROVADO PROJETO DA LEI GERAL DAS RELIGIOES


por Débora Álvares | Agência Estado
Aprovado projeto da Lei Geral das Religiões
Mesmo com a contrariedade manifestada por movimentos religiosos, a Comissão de Assuntos Sociais do Senado aprovou, nesta quarta-feira (12), o projeto que estabelece a Lei Geral das Religiões, proposta apresentada pela Câmara Federal que ainda vai passar pela análise do plenário do Senado, antes de retornar para avaliação dos deputados. A intenção é garantir tratamento isonômico a diferentes religiões, a partir de normas sobre ensino religioso, casamento, imunidade tributária, prestação de assistência espiritual em presídios e hospitais, garantia do sigilo de ofício dos sacerdotes e reforça que não há vínculo empregatício entre religiosos e instituições católicas. A matéria já foi analisada pela Comissão de Educação e ainda deveria ser analisada pela Comissão de Assuntos Econômicos. Um acordo entre as lideranças do Senado, porém, vai levar a proposta para avaliação direta do Plenário da Casa. A iniciativa veio em resposta ao Estatuto Jurídico da Igreja Católica, assinado entre o governo brasileiro e o Vaticano em 2008, que estabeleceu normas sobre ensino religioso, casamento, imunidade tributária para entidades eclesiásticas, prestação de assistência espiritual em presídios e hospitais, garantia de sigilo de ofício dos sacerdotes, entre outros temas

DIA DOS NAMORADOS SEM NAMORADO!




Há pouco recebi um e-mail de uma irmã que dizia: "Pastor, minha vida é muito triste! Não é que eu vou passar mais um dia dos namorados sem namorado? Até quando pastor, passarei uma data tão importante como essa sozinha?

Caro leitor, quantos não são aqueles que como essa moça encontram-se angustiados? Quantos não são aqueles que experimentam tristeza pelo fato de ter que passar o dia dos namorados sozinhos?  Na verdade, ouso afirmar que não são poucos aqueles que acreditam que o caminho da felicidade encontra-se num namoro feliz e em virtude disso anseiam desesperadamente encontrar alguém que complete suas vidas.

Outro dia alguém me falou: "Pastor, mais um dia dos namorados sem namorado, estou começando achar que estou debaixo de maldição!"

Prezado amigo, estar solteiro ou ser solteiro, ter namorado ou não ter namorado não significa estar debaixo de maldição.  O fato de você não está namorando alguém, ou até mesmo de não ter casado não significa que foi amaldiçoado ou que o capeta amarrou o seu destino. 

Tudo bem, compreendo que qualquer jovem sonha com o par perfeito, com carinhos, afagos, afetos e expressões elogiosas do tipo "eu te amo, te desejo, ou quero viver com você por toda vida", no entanto, por fatores diversos muitos desses permanecem "solteiros" . Ora, por favor, entenda que existe um tempo estabelecido por Deus para todas as coisas.  Salomão em sua grande sabedoria afirmou: “Existe um tempo determinado para todas as coisas na vida”. Sim, isso mesmo, na vida existe momentos pra tudo! Há tempo de plantar e tempo de colher, há tempo para abraçar e deixar de abraçar, em outras palavras isso significa dizer que existe um tempo determinado por Deus para desfrutarmos de carinhos, afagos, abraços e beijos de alguém. Em contra-partida, isso significa dizer também que existem momentos na vida, que somos chamados a um momento de reclusão onde outros valores necessários a uma existência plenificada nos são trabalhados.

Diante disto tenho plena convicção que vale a pena esperar o tempo e o momento certo para desfrutar do prazer de namorar. Além disso, acredito também que a melhor maneira de superar a pressão da sociedade é lançando diante de Deus sua ansiedade na certeza de que Ele tem todas as coisas sob controle e que no momento certo você encontrará a pessoa certa.

Isto, posto, fuja da pressão e confie em Deus deleitando-se naquele que é o supridor de toda carência humana. Como bem afirmou John Piper, "Deus é mais glorificado em nós quando estamos mais satisfeitos nEle!" 

Pense Nisso!

Renato Vargens

terça-feira, 11 de junho de 2013

FELIZ POR SER PROSTITUTA


"Eu sou feliz sendo prostituta", diz campanha do governo.


Campanha do Ministério da Saúde foi veiculada nas redes sociais; objetivo é se opor ao estigma "da prostituição associada à infecção pelo HIV"

Divulgação/Ministério da Saúde



A polêmica frase em campanha do governo é atribuída à Nilce Machado, moradora de Porto Alegre


São Paulo – O Ministério da Saúde lançou nas redes sociais uma campanha para celebrar o Dia Internacional das Prostitutas (2 de junho). Entre fotos e vídeos que compõem a iniciativa, uma em especial promete gerar debates. Na imagem divulgada pelo Governo Federal, está escrito: "Eu sou feliz sendo prostituta".

A frase é atribuída à Nilce Machado, identificada como moradora de Porto Alegre. Um texto de divulgação da campanha afirma que "a mobilização vai dar visibilidade a esse público veiculando materiais que se oponham ao estigma da prostituição associada à infecção pelo HIV e aids".

As peças divulgadas pelo órgão foram desenvolvidas durante uma oficina com prostitutas realizada entre 11 e 14 de março em João Pessoa. Segundo a Rede Brasileira de Prostitutas, o dia internacional da categoria relembra manifestações por melhores condições de trabalho realizadas na França em 1975.

Polêmicas:

Essa não é a primeira polêmica envolvendo iniciativas do Ministério da Saúde em 2013. Em março, o órgão suspendeu a distribuição de materiais de uma campanha com mensagens anti-homofobia e de incentivo ao uso da camisinha.

O motivo alegado foi o fato das peças não terem sido aprovadas pelo Ministério da Educação e conterem erros de forma e conteúdo. A suspensão da campanha foi criticada por representante das Nações Unidas.

DIANTE DE TUDO ISSO FICA A PERGUNTA?

ISSO É CERTO?

ATÉ ONDE ESSE PAÍS VAI, PENSADO ASSIM?

QUE DEUS TENHA MISERICÓRDIA DOS NOSSOS FILHOS E FILHAS QUE VIVERÃO UM POUCO MAIS PARA TESTEMUNHAR COISAS DESSE TIPO OU PIOR. 



DITADURA GAY PROÍBE COMEMORAR O DIA DAS MÃES EM CIDADE DO BRASIL

Ditadura gay entra com ação em cidade e proíbe comemoração do dia das mães

Recebi uma denuncia de moradores de Brusque, em Santa Catarina, de que as escolas municipais não comemoraram este ano o dia das mães por imposição da militância gay da cidade.
Apesar dos esforços de participação em uma audiência pública na Câmara de Vereadores da cidade pedindo a volta do dia das mães, as escolas municipais não comemoraram neste ano este dia tão importante para uma criança.
A tempos venho alertando sobre a ditadura gay, inclusive com texto publicados aqui no Gospel+, onde sou colunista, alertando justamente a população para se defender quanto a estes abusos dessa ditadura gay que se instalou no Brasil.
Segundo informações de Jesiel Rodrigo Fernandes, morador da cidade, e informações publicadas no site de uma das radios locais, houve uma audiência pública que discutiu vários assuntos polêmicos, entre eles o fim da comemoração dos dias das mães, bem como a retirada do nome pai e mãe da identidade de todas as crianças para não constranger quem tiver dois pais e/,ou duas mães.
O absurdo disso tudo é que para valorizar o modelo de familia que a ditadura gay quer impor na sociedade e não constranger uma criança que possa ter dois pais (o que não é comum, mas já prevê o futuro que esta ditadura está implantando) retira-se um direito de todas as crianças que são maioria de ter em sua identidade o nome de seu pai e sua mãe.
Já que não se comemora mais o dias das mães, as crianças que tem mãe que sofram por isso e os pais que gostam de ter este momento com seus filhos que se frustrem. E vocês ainda acreditam que eles se importam com alguém? Que se importam com as crianças? Não percebem o grau de vingança subliminar nesta conduta travestida de direito da criança? É inadmissível tirar direitos de outros para conquistar os seus.
A ditadura gay diz que o modelo familiar mudou. Eu pergunto, onde? Podem haver exceções sim, mas a grande maioria é familia tradicional, que não mudou nada em sua configuração. Ainda que seja criança adotiva ou pais separados essa criança tem sim uma mãe, ou é filha de “CHOCADEIRA”?
Sabe porque não tiraram o dia dos pais? Porque eles são homens. As pessoas e mídias que não enxergam um palmo adiante do seu narizes acabam servindo de idiotas úteis nas mãos de ativistas que mostram com essa atitude um subliminar preconceito até mesmo contra as lésbicas que, antes de tudo, são mulheres e também geram filhos, e portanto são mães.
É com muito indignação que vejo a passividade de muitos cristãos frente a esses ataques. Tem medo do que? De perdeu seu diploma? De ser perseguidos na igreja? E o discurso nos púlpitos é só para alienar? Para” inglês ver” como dizia minha avô? Cadê a fé, Igreja? Cadê a sabedoria, o poder de Deus em nossa vidas? “Se Deus é por nós, quem será contra nós?”
Sabe o que penso? O maior inimigo que temos somos nós mesmos, nossa falta de fé, de estratégia e de conhecimento. O meu povo sofre por falta de entendimento (Oséias 4.6).
Algumas pequenas dicas para você lutar de forma natural (ação), pois a espiritual (oração) todos sabemos  fazer:
Vou dar alguma dicas práticas de como você pode agir em sua cidade para enfrentar essa ditadura. Com ordem e decência, mas sem omissão. Não espere por um “libertador”, pois Jesus Cristo já nasceu e já ressuscitou, e deixou ensinamentos para você viver e enfrentar este mundo. Faça a sua parte e Ele estará contigo.
Assim diz o senhor para sua vida: “Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.” João 16:33
Eu te esforço e te ajudo e te sustento com a destra da Minha justiça” (Isaías 41:10).
A Igreja precisa participar de audiências publicas, de encontros diversos, principalmente em pelo menos 3 áreas: educação, saúde e assistencia social. Participe como delegado em conferências municipais, estaduais e fique atento aos projetos propostos. Tenha coragem de propor, discordar e fazer manifestações contrárias ou a favor das políticas publicas que querem implantar em nossas escolas, saúde, segurança e etc. Mostre sua indignação, saia do armário da igreja! Somente assim sendo ativo nos municípios é que você poderá interferir nas políticas públicas do sua região e do seu estado.
O mais importante: não venda seu voto. Vote consciente em quem tem trabalho e compromisso com a família e já tenha lutas na área. Investigue quem é e o que faz seu candidato, seu partido e as bandeiras que defende. Fique longe dos oportunista.
Segue abaixo minhas orientações que podem ser facilmente organizadas em sua cidade e que colocará a igreja em posição de contraditório e como voz ativa:
1ª Reunião de trabalho: organizem um encontro de pastores, padres e lideranças locais (independente de religião). Junte pessoas que não concordam com essa ditadura.
2º Organizem palestras para todas as lideranças com profissionais que militam na área sobre a estratégia da ditadura gay. Sugiro que leiam textos publicados neste site e na minha coluna aqui, bem como textos do Pastor Malafaia, Reinaldo Azevedo, Olavo de Carvalho, Mídia Sem Máscara, Julio severo, Pe.Paulo Ricardo ,Luciano Garrido, Damares Alves, Rosangela Justino e outros que seguem a linha de defesa da família e dos verdadeiros direitos humanos.
4ª Organize abaixo assinado exigindo que seja revogado abusos que são contrários a família tradicional e a igreja, pois como a maioria de direito isso é democracia. Porém é importante fazer com que o abaixo assinado chegue às mãos certas.
5ª Organizar ato publico pacífico como uma marcha pacífica. Proteste em frente da câmara municipal, prefeitura e/ou assembléias legislativa reivindicando seus direitos enquanto cidadão.
6º Use muito as redes sociais, patrulhem tudo o que está acontecendo e se junte a pessoas que militam em defesa da família como pastores que estão na luta sem medo de enfrentar a ditadura gay, como todos nós ou como o pastor Marco Feliciano por exemplo.
7º Exija implantação de uma assessoria e ou um departamento para discutir ações de prevenção e proteção das pessoas desde a maternidade para proteger de fato a familia tradicional.
8º Implante associações, ONGs, seminários de discussão, ações contra temas que podem ser considerados “tabus”, como drogas, aborto, eutanásia, cultura de morte, ditadura gay e etc. Faça um mutirão social para legalizar as existentes.
Enfim , tenha conhecimento, fé e atitude. Seja superior as agressões, não ofenda, não caia no jogo sujo de ativista ideológicos que querem nos transformar em inimigos dos homossexuais. Não somos inimigos de ninguém, apenas não seremos mais massa de manobra, ou idiotas úteis nas mãos dessa minoria de ativista que quer comandar o mundo e nos colocar debaixo de um julgo exatamente como o Egito fez com o povo Judeu.
Heterossexualidade é o normal de nascimento e deve ser preservada para a garantia de preservação de espécie humana e ponto final. Por outro lado, os homossexuais existentes são pessoas como nós e merecem todo amor, carinho e respeito. Já ativistas malucos que querem “psicotizar” a nação, nós não podemos mais aceitar! Para isso temos que sair do conforto de nossas igrejas, ir para as ruas e garantir nossos direitos de viver conforme nossa fé, e assim podermos comemorar a verdadeira realidade.
E aqui assino apenas como Marisa Lobo ativista pelas causas da Familia de Cristo, direito meu enquanto cidadã. Exija também o seu.
Fonte: Gnotícias

Qual é o país com mais ateus no mundo?

É a  Suécia . Lá, 85% da população não tem nenhuma crença ou não acredita em Deus. Esse foi o resultado da pesquisa Ateísmo: Taxas...