terça-feira, 7 de novembro de 2017

FRUTO DO ESPIRITO: FIDELIDADE

Resultado de imagem para fruto do espirito

INTRODUÇÃO
trabalhamos o fruto do espirito na dimensão com Deus. Amor, paz e alegria.
Na dimensão com o próximo. Longanimidade, bondade e benignidade.
Agora vamos analisar em relação a nós mesmos. Mas que tudo estar diretamente relacionado com Deus.fidelidade, mansidão e temperança.
Fidelidade é uma das virtudes mais importantes na vida cristã. Começa com nosso relacionamento com Deus, e então transborda em nosso relacionamento com outros. Deus é absolutamente fiel (Salmo 36:5; 1 Coríntios 1:9 fiel é Deus; 2 Timóteo 2:13 se somos infiéis ele permanece fiel.), e é Seu desejo que, pelo Espírito, essa fidelidade se torne uma parte de nosso caráter também.
Fidelidade mostra que o cristão será uma pessoa fiel em sua palavra e promessas; alguém confiável ou em quem se pode confiar. UMA PESSOA EM QUE DEUS POSSA CONFIAR.
 O cristão é fiel como pessoa; fiel como um vizinho, amigo, pai, cônjuge, filho.
 Ele é fiel em seus contratos; fiel às suas promessas.
 Ninguém que não seja assim fiel pode ser um cristão.
Nos dias em que vivemos, quando metade de todos os casamentos está acabando em divórcio, e com muitas pessoas recebendo punhaladas pelas costas nos locais de trabalho, por parte de pessoas em quem elas pensavam poder confiar, esta qualidade é realmente necessitada em nossa época. Podemos até tornar nossa a oração do Salmista:
“Salva-nos, Senhor, pois não existe mais o piedoso; os fiéis desapareceram dentre os filhos dos homens. Cada um fala com falsidade ao seu próximo; falam com lábios lisonjeiros e coração dobre” (Salmo 12:1-2).
SIGNIFICADO DA PALAVRA
A palavra grega traduzida por fidelidade é pistis. Fidelidade é tanto uma atitude quanto uma ação demonstrada em relação a Deus e aos outros. Esta palavra grega é também a mesma palavra para “fé.” (Mt 23:23; 1Co 13:7, 1Co 13:13).
Fé, como fruto do Espírito é:
 fidelidade,
 veracidade,
 confiabilidade
 É uma graça essencial, fundamental, da vida cristã.
 É uma sincera e inteira entrega a Deus, como a atmosfera espiritual na qual devemos viver.
 É esse depender diário e consciente da ajuda Divina, sem nos alterar nem nos desanimar por causa das tormentas e furacões da vida.
No Novo Testamento a palavra é com freqüência usada como uma convicção ou crença com respeito a Deus e Cristo. Mas também é usada para descrever a qualidade de "fidelidade e devoção". É "o caráter de alguém que pode ser confiável." (THAYER). William Barclay a chama "a virtude da fiabilidade."
Aqui está o que alguns diferentes dicionários da Bíblia e comentários têm a dizer sobre esta qualidade:
Fidelidade torna alguém verdadeiro à sua promessa e fiel à sua tarefa;
Firme, dedicado, seguro e digno de confiança;
Firme, imutável .
Confiabilidade, lealdade e estabilidade.
Deus nos chama para uma vida de fidelidade.

1.Em primeiro lugar, devemos ser fiéis porque Deus é fiel.
Sl 33.4: "As palavras do Senhor são verdadeiras; tudo o que ele faz merece confiança".
# Deus é fiel consigo mesmo. Ele não age hoje segundo um princípio e amanhã segun¬do outro princípio. Ele nunca muda. "Se somos infiéis, ele permanece fiel, pois de maneira ne¬nhuma pode negar-se a si mesmo" (lI Tm 2.13).

# Deus é fiel no sentido de ser fiel à sua palavra. Cada palavra que ele diz é verdade . Ele é verdadeiro quando fala. Quan¬do o Senhor faz uma promessa, podemos ficar certos de que a cumprirá integralmente. Josué declara esta verdade ao dizer: "Nenhuma promessa falhou de todas as boas palavras que o Senhor falara à casa de lsrael: Tudo se cumpriu" (Js
(...considerando que Deus quer que sejamos iguais a Ele, o desejo dEle é que sejamos fiéis).

# Deus é fiel para com o seu povo. Inumeráveis são os textos que narram a fidelida¬de que o Senhor teve para com o povo de Israel em toda a sua história. Hebreus estende à igre¬ja uma das promessas do Antigo Testamento: "De maneira nenhuma te deixarei, nunca jamais te abandonarei" (Hb 13.5). Por Deus ser fiel, a igreja pode descansar nele. "Aquele que come¬çou boa obra em vós há de completá-la até o dia de Cristo Jesus" (FI. 1.6).
Assim como Ele é fiel para com seu povo, espera que seu povo o seja para com Ele. Nós que compomos o povo de Deus, devemos estar atentos ao que a Palavra diz: "O que se requer dos despenseiros é que cada um deles seja encontrado fiel" (I Co 4.2).

2.Depois, a fidelidade é que torna a vida muito mais fácil
A infidelidade é a causa de muitos problemas, Pv 25.19: "Num momento de dificuldade, depender de uma pessoa que não merece confiança é como mastigar com um dente estragado, andar com um pé aleijado".

3. Outro motivo por que devemos ser fiéis é que Deus recompensa a fidelidade.
Na parábola dos talentos em Mt 25, Jesus diz que um dia Deus vai nos julgar [mas esse julgamento não vai avaliar nossa capacidade ou boas intenções] - Deus vai nos julgar e nos recompensar de acordo com a nossa fidelidade [a Bíblia diz que o homem fiel será ricamente abençoado].
Portanto, se quiser ser recompensado no céu, deverá ser uma pessoa fiel, confiável


Vamos observar nas escrituras um modelo de fidelidade a Deus. Vamos para Daniel 3.

Os três jovens hebreus provocaram uma nota dissonante no meio daquela sinfonia de servilismo.
Eles se recusam a pecar. Eles são ameaçados. Distoam da multidão. São intransigentes. São inconformistas. A verdade é inegociável. Não transigem com os absolutos de Deus. Não vendem a consciência. Preferem a morte que a infidelidade a Deus. Estão prontos a morrer, mas não a pecar.


a) O v. 12 – a acusação: ingratidão e desrespeito.
b) O v. 15 – A nova oportunidade e a ameaça: morte e impossibilidade de livramento.
c) O v. 16 – Não precisamos defender Deus, apenas honrá-lo:
d) O v. 17-18 – Cabe-nos obedecer a Deus e não administrar as consequências
e) O v. 19-20 – A ira dos homens é louca: aquecer a fornalha sete vezes e atar os homens.

f) O v. 25 – A intervenção do quarto homem é miraculosa: O fogo os livra das cordas e o quarto homem os livra do fogo.

Nesse episódio, aprendemos algumas lições importantes sobre fidelidade:

I.A NOSSA FIDELIDADE A DEUS DEVE SER UMA QUESTÃO INEGOCIÁVEL – V. 12

• Esses três jovens hebreus entendem que agradar a Deus é mais importante do que preservar suas próprias vidas. O principal ensino deste capítulo não é o livramento miraculoso. Não temos dificuldade de acreditar em milagres.

O principal ensino nesta capítulo é que três crentes jovens são tentados a praticar o mal e recusam-se a fazê-lo. Estão dispostos a discordar de todos, ainda que isso signifique uma morte horrível.

“Transigir” não é uma palavra do vocabulário deles. O pecado é pecado, e eles não o cometerão. Estão dispostos a morrer, mas não pecar. Eles não eram produto do meio. Eles estavam cercados de pessoas conformistas, mas eles tinham coragem para ser diferentes.
• A fidelidade deles não era um negócio com Deus. Muitas vezes a fidelidade a Deus pode nos levar para as fornalhas ou mesmo para a cova dos leões. Muitas vezes a fidelidade a Deus pode nos levar a ser rejeitados pelo grupo, a sermos despedidos de uma empresa, a sermos rejeitados na escola ou até mesmo a sermos mal compreendidos na família.

Nosso compromisso não é com o sucesso, mas com a fidelidade a Deus. Há muitas pessoas que conseguem o sucesso, vendendo suas consciências, transigindo com os valores absolutos. Esses moços não!
• Muitos jovens e muitos crentes hoje são tentados a ceder. Jovens cristãos são instados a se embriagarem com os seus amigos ou a perder a virgindade antes do casamento. São tentados a mentir para os pais, a ver filmes indecentes, a ficar sob luzes piscantes e curtir músicas maliciosas. O mundo tem sua própria fornalha ardente à espera daqueles que não se conformam em adorar seus ídolos. É a fornalha de ser desprezado, ridicularizado. Os que são fiéis a Deus são chamados de retrógrados. Para muitos crentes a pressão parece irresistível. Mas fidelidade é uma questão inegociável.

I.A NOSSA FIDELIDADE A DEUS DEVE SER UMA QUESTÃO INEGOCIÁVEL – V. 12

II. A NOSSA FIDELIDADE NÃO NOS ISENTA DE PROBLEMAS , MAS NOS PROVE PROVISAO NO MEIO DOS PROBLEMAS – V. 21,25
• Deus não livrou os seus servos da provação, mas preservou-os na provação. Ele não impediu que os seus servos fossem atados, mas o fogo que devia destruí-los teve que livrá-los das cordas.
• Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus. O Senhor está acima de tudo e nada pode transtornar os seus planos. A inveja e o ódio dos acusadores, a ira e a arrogância do rei, as cordas dos algozes e as chamas do fogo. Tudo está sob o controle de Deus.
• Deus não livrou esses moços da ameaça nem os impediu de cair na fornalha. Mas os livrou na farnalha. Ser crente não é ser poupado dos problemas, das provas, das aflições, dos problemas financeiros, dos problemas de saúde, dos problemas familiares. Mas ser crente é experimentar o livramento de Deus nos problemas.
• Os jovens foram jogados na fornalha, mas o quarto homem os livrou na fornalha. O fogo os libertou das amarras e o quarto homem os libertou do fogo. O próprio Nabucodonosor que disse: “E quem é o Deus que vos poderá livrar das minhas mãos” (v. 15) agora, precisa dizer: “Bendito seja o Deus de Sadraque, Mesaque e Abede-Nego o qual enviou o seu anjo e livrou os seus servos que confiaram nele” (v. 28).
I.A NOSSA FIDELIDADE A DEUS DEVE SER UMA QUESTÃO INEGOCIÁVEL – V. 12

II. A NOSSA FIDELIDADE NÃO NOS ISENTA DE PROBLEMAS , MAS NOS PROVE PROVISAO NO MEIO DOS PROBLEMAS – V. 21,25
III. A NOSSA FIDELIDADE A DEUS, NÃO ESTA BASEADA SIMPLISMENTE NO QUE DEUS FAZ, MAS NO QUE ELE É – v. 17-18
• Aqueles jovens não serviam a Deus por causa dos benefícios recebidos de Deus. A religião para eles não era um negócio lucrativo. Eles serviam a Deus por causa do caráter de Deus. A vida deles não girava em torno do bem estar deles. O grande objetivo da vida deles era honra a Deus a despeito das circunstâncias adversas.

• Nabucodonosor tenta intimidá-los, dizendo que Deus nenhum podia livrá-los da sua mão (v. 15). Mas eles, não precisam defender a reputação de Deus, apenas obedecê-lo (v. 16-17). Eles honram a Deus não pelo que Deus possa lhes dar, mas por quem é (v. 18).

• Eles estão prontos a honrarem a Deus em toda e qualquer circunstância. As consequências pertencem a Deus. Nosso dever é fazer o que é certo. Não importa o custo e as consequências. É melhor ser morto prematuramente e encontrar o reto juíz em paz, do que viver um pouco mais e encontrá-lo em terror.

• Ter fé é confiar que a nossa vida está nas mãos de Deus. Ele faz o que lhe apraz. Não significa: Deus está nas minhas mãos e ele tem que fazer o que eu quero.
• Durante vinte séculos, os regimes totalitários disseram aos cristãos que estes deveriam conformar-se com suas exigências ímpias ou morreriam. Nunca isto foi tão verdadeiro como no século XX. Mais da metade de todos os mártires da história viveram no século passado. Em muitos países ainda o povo de Deu sofre perseguições. Definham nas prisões, suportam a dor de perderem seus filhinhos, gritam sob tortura e morrem horrivelmente. Enfrentam a morte para não serem infiéis a Deus.
I.A NOSSA FIDELIDADE A DEUS DEVE SER UMA QUESTÃO INEGOCIÁVEL – V. 12

II. A NOSSA FIDELIDADE NÃO NOS ISENTA DE PROBLEMAS , MAS NOS PROVE PROVISAO NO MEIO DOS PROBLEMAS – V. 21,25
III. A NOSSA FIDELIDADE A DEUS, NÃO ESTA BASEADA SIMPLISMENTE NO QUE DEUS FAZ, MAS NO QUE ELE É – v. 17-18
IV. QUANDO SOMOS FÍES A DEUS, ELE VEM AO NOSSO ENCONTRO.– V. 24-25
• O livramento no fogo é a estratégia de Deus. Quando somos fiéis a Deus, ele tem um encontro conosco na fornalha. Só temos duas escolhas: ou ficamos fora da fornalha com Nabucodosor, ou dentro dela, com Cristo. Não há meio termo. Mas o lugar de calor irresistível é também o lugar de comunhão intensa com o Salvador.

• Não há fornalha ardente que consiga destruir o povo de Deus. Tais fornalhas, de fato, acabam se tornando o próprio meio que Deus usa para preservar seu remanescente fiel e manter viva a sua verdade, no mundo.

• O quarto homem sempre vem ao nosso encontro na hora da aflição. Na hora da dor, na hora da humilhação. Ele é o Deus do livramento. É o Deus das causas perdidas. Jesus é o quarto homem que não o poupa da fornalha, mas o livra do fogo.
• EM QUE FORNALHA VOCÊ ESTÁ?
a) Problemas conjugais – O amor está esfriando, as mágoas estão crepitando como fogo, o diálogo está acabando? Sente que o seu casamento está amarrado, atado e atirado numa fornalha acesa de dor e lágrimas? O quarto Homem pode hoje trazer a você livramento.

b) Problemas financeiros – Situação amarga, noites indormidas, madrugadas insones, ansiedade, portas fechadas, desemprego, salário defasado, compromissos à porta? O quarto Homem pode trazer livramento. Ele é o dono de todo o outro e de toda a prata.

c) Problemas espirituais – A sua vida devocional está doente. Acabou a alegria da intimidade com Deus. Cessou a oração fervorosa, a devoção a Deus, a paixão pelas almas. O quarto Homem pode incendiar de novo o seu coração.

d) Problemas sentimentais – Você está com medo: medo da solidão, do abandono, de não ser aceito, de tropeçar, de naufragar. Mas Jesus pode livrar você hoje.
I.A NOSSA FIDELIDADE A DEUS DEVE SER UMA QUESTÃO INEGOCIÁVEL – V. 12

II. A NOSSA FIDELIDADE NÃO NOS ISENTA DE PROBLEMAS , MAS NOS PROVE PROVISAO NO MEIO DOS PROBLEMAS – V. 21,25
III. A NOSSA FIDELIDADE A DEUS, NÃO ESTA BASEADA SIMPLISMENTE NO QUE DEUS FAZ, MAS NO QUE ELE É – v. 17-18
IV. QUANDO SOMOS FÍES A DEUS, ELE VEM AO NOSSO ENCONTRO.– V. 24-25
V. DEUS É HONRADO QUANDO MANTEMOS A NOSSA FIDELIDADE. V 28-29
VI. A FIDELIDADE ATRAI PROSPERIDADE. V 30.
NADA É TÃO VALIOSO QUANTO A NOSSA FIDELIDADE A DEUS. ELE NOS CONVOCA A UMA VIDA DE FIDELIDADE.
SE FIEL ATÉ A MORTE.
Veja esta ilustração:
O JOVEM MENSAGEIRO
Um jovem recebeu do rei a tarefa de levar uma mensagem e alguns diamantes a outro rei de uma terra distante. Recebeu também o melhor cavalo do reino para levá-lo na jornada...
- Cuida do mais importante e cumprirás a missão! Disse o soberano ao despedir-se.
Assim, o jovem preparou o seu alforje, escondeu a mensagem na bainha da calça e colocou as pedras numa bolsa de couro amarrada à cintura, sob as vestes.
Pela manhã, bem cedo, sumiu no horizonte. E não pensava sequer em falhar. Queria que todo o reino soubesse que era um nobre e valente rapaz, pronto para desposar a princesa. Aliás, esse era o seu sonho e parecia que a princesa correspondia às suas esperanças.
Para cumprir rapidamente sua tarefa, por vezes deixava a estrada e pegava atalhos que sacrificavam sua montaria. Assim, exigia o máximo do animal. Quando parava em uma estalagem, deixava o cavalo ao relento, não lhe aliviava da sela e nem da carga, tampouco preocupava-se em dar-lhe de beber ou providenciar alguma ração.
- Assim, meu jovem, acabas perdendo o animal - disse alguém.
- Não me importo - respondeu ele.
- Tenho dinheiro. Se este morrer, compro outro. Nenhuma falta fará.
Com o passar dos dias e sob tamanho esforço, o pobre animal não suportando mais os maus tratos, caiu morto na estrada. O jovem simplesmente amaldiçoou-o e seguiu o caminho a pé.
Acontece que nessa parte do país havia poucas fazendas e eram muito distantes uma das outras. Passadas algumas horas, ele se deu conta da falta que lhe fazia o animal. Estava exausto e sedento.
Já havia deixado pelo caminho toda a tralha, com exceção das pedras, pois lembrava da recomendação do rei: "Cuida do mais importante!" Seu passo tornou-se curto e lento. As paradas eram freqüentes e longas. Como sabia que poderia cair a qualquer momento e temendo ser assaltado, escondeu as pedras no salto de sua bota. Mais tarde, caiu exausto no pó da estrada, onde ficou desacordado.
Para sua sorte, uma caravana de mercadores que seguia viagem para o seu reino, encontrou-o e cuidou dele.
Ao recobrar os sentidos, encontrou-se de volta em sua cidade. Imediatamente foi ter com o rei para contar o que havia acontecido e com a maior desfaçatez, colocou toda a culpa do insucesso nas costas do cavalo "fraco e doente" que recebera.
- "Porém, majestade, conforme me recomendaste, "Cuida do mais importante", aqui estão as pedras que me confiaste. Devolvo-as a ti. Não perdi uma sequer!"
O rei as recebeu de suas mãos com tristeza e o despediu, mostrando completa frieza diante de seus argumentos. Abatido, o jovem deixou o palácio arrasado. Em casa, ao tirar a roupa suja, encontrou na bainha da calça a mensagem do rei, que dizia:
"Ao meu irmão, rei da terra do Norte! O jovem que te envio é candidato a casar-se com minha filha. Esta jornada é uma prova. Dei a ele alguns diamantes e um bom cavalo. Recomendei que cuidasse do mais importante. Faze-me, portanto, este grande favor e verifica o estado do cavalo.

Se o animal estiver forte e viçoso, saberei que o jovem aprecia a fidelidade e a força de quem o auxilia na jornada. Se, porém, perder o animal e apenas guardar as pedras, não será um bom marido, nem rei, pois terá olhos apenas para o tesouro do reino e não dará importância à rainha e nem àqueles que o servem.

ESTE JOVEM NÃO CUIDOU DO MAIS IMPORTANTE. NÃO FOI FIEL AO QUE ERA MAIS IMPORTANTE E VC.

NADA HÁ MAIS IMPORTANTE DO QUE A PESSOA DE DEUS.
VOÇE TEM SIDO FIEL A ELE EM SUA JORNADA.
VOÇE TEM CUIDADO DO QUE ELE TEM COLOCADO EM SUAS MAOS.

II CO 4: 2 REQUER QUE OS DISPENSEIROS SEJA ENCONTRADO FIEL.

DEUS DESEJA LEVANTAR UMA GERAÇAO DE HOMENS E MULHERES QUE SEJAM FIES.
HB 3.2 o qual é fiel aquele que o constituiu , como também o era Moises em toda a sua casa.

Retirado do site http://pramatos.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A Presciência de Deus.

Que controvérsias têm sido engendradas por este assunto no passado! Mas que verdade das Escrituras Sagradas existe que não se tenha ...