quinta-feira, 23 de abril de 2015

Onde estão os pais?



Com a fragmentação familiar e a competitividade do mercado de trabalho, a figura do pai está se tornando cada vez mais ausente e distante. Faltam pais no mercado! Gente comprometida em ser mentor e guia de seus filhos. Faltam referências familiares, e os filhos tem sofrido de forma lastimável esta ausência paterna.
Mãe possui uma relação uterina com o filho, mas ele não pode ser chamado sempre de “menininho da mamãe!”, ou “que gracinha!”. Pais precisam assumir seu papel e afirmar a masculinidade do filho. Feminilidade não transmite masculinidade.
Pouco se tem falado hoje dos riscos da ausência paterna ou alienação parental. No entanto, a pergunta mais essencial no coração de um menino só pode ser respondida pelo pai: “Tenho algum valor?” Filhos querem saber o que o pai pensa deles e anseiam pela companhia paterna. O momento mais feliz de um filho na tenra infância é a hora que o pai chega do trabalho. O afastamento intencional ou não pode se tornar um grande problema na personalidade da criança.  
Chuck Colson foi assessor do Presidente Richard Nixon e o pivô do escândalo Watergate. Julgado e na prisão teve um encontro pessoal com Jesus. Durante estes anos, viu o sofrimento dos presos, distanciados de seus familiares e criou a ONG Prison Fellowship, que procura dar apoio aos presos e familiares, para uma população carcerária que somente nos EUA Unidos chega a quase 2 milhões de pessoas.
Alguns anos atrás esta ONG providenciou papéis, envelopes e selos para os presos que quisessem enviar cartões no dia das mães. O resultado foi um sucesso. Milhares de presos mandaram cartas e cartões e por isto resolveram ampliar a idéia para o Dia dos Pais. No entanto, o resultado foi um fracasso. Raros foram os presos que decidiram enviar cartas para seus pais.
Isto revelou o fato que há um sentimento vago, ambíguo e até mesmo hostil entre pais e filhos. A grande maioria dos presos não tinha uma idéia clara de paternidade. Havia uma ausência paterna. A cadeia é um destino comum para quem nunca teve pai.
Historicamente, a maneira tradicional de criar filhos, sempre foi ensinando-os a mesma profissão, andando ao lado, conversando, fazendo flechas, caçando e pescando. O Pai levava consigo os filhos em sua companhia. Havia mentoria.
A ferida mais profunda no coração de um filho é infligida pela ausência emocional ou geográfica dos pais ou nas palavras que são ditas (ou não ditas). Tais feridas são recebidas de forma ativa ou agressiva, e nem sempre podem ser percebidas de forma imediata, tornando-se com um câncer que se desenvolve de forma lenta. Bly afirma: “Um pai ausente, indiferente ou distante, que só pensa em trabalhar, é uma ferida”.
Alguns pais ferem pelo silêncio. Estão fisicamente presentes, mas emocionalmente ausentes. O silêncio é ensurdecedor. No caso de pais silenciosos os filhos estão perguntando: “Quem sou eu?”; “eu significo algo?”. O silêncio é também ambíguo: “Não sei, talvez sim...” A dor mais profunda surge nas palavras ou atitudes, que dizem sem dizer: “Incapaz, burro, incompetente, mocinha”. Excesso de trabalho, culpa e abandono roubam a identidade positiva. Meninas também precisam de afirmação. Muitas garotas correm para o braço de outros homens, buscando a afirmação que lhes foi negada em casa, na busca do abraço masculino inexistente em casa. Filhas amadas aprendem a se esquivar e a fazerem boas escolhas para o casamento, porque aprenderam um sadio modelo de masculinidade em sua casa.

Filhos precisam de pais!

Rev Samuel Vieira.

Babilônia



A imprensa tem notificado nos últimos dias a queda na audiência da Rede Globo na nova novela das 21, cujo título é Babilônia. A UOL TV fez a seguinte declaração no dia 29.03.2015: “A Globo lançou neste final de semana uma operação de salvamento de Babilônia. Rejeitada por parte do público e boicotada por evangélicos, a nova novela das nove derrubou a audiência do horário nobre da emissora em 19% e, se não reagir, poderá entrar para a história como o mais baixo ibope das 21h. Desde ontem, para recuperar o público que migrou para SBT e Record, a Globo exibe chamadas introduzindo didaticamente as tramas da novela, em uma ação chamada de "relançamento". Mudou também a abertura e a apresentação da logomarca”.
O nome Babilônia significa “porta dos deuses”. Havia nesta antiga cidade 53 templos pagãos onde perdurava o sincretismo. Babilônia é na Bíblia, a figura da mãe das fornicações e da devassidão moral e por isto é chamada de “A mãe de todas as prostitutas e de todas as pessoas imorais do mundo” (Ap 17.5). Todos se embriagavam com sua luxúria e bebiam o “sangue dos santos” (Ap 17.6). O apóstolo João afirma que quando a viu, admirou-se com grande espanto pela sua maldade (Ap 17.6). O significado completo da cidade é escatológico. Babilônia personificava a maldade humana. Trata-se portanto, de uma figura muito mais ampla que a mera descrição de uma cidade particular.
Fala-se em “boicote dos evangélicos”, mas outras igrejas também, inclusive boa parte dos católicos, estão preocupadas com a perda de valores morais, e a propaganda sistemática pela quebra de valores, entre eles, a família.
Li recentemente a seriíssima declaração do Pe. Dudu (Pe. Eduardo Braga), veja suas palavras:
“(Babilônia) faz referência à prostituição, entendida com seus crimes e pecados cometidos contra Deus e seus filhos. O que dizer de duas senhoras de oitenta e seis anos se beijando? Babilônia! Cenas casuais de sexo e assassinato? Babilônia! Golpe do baú e traição? Babilônia! Triangulo amoroso e prostituta de luxo? Babilônia! Em um momento tão crítico da história deste país, Babilônia e Big Brother não podem nos trazer luz, paz e esperança. Desperta povo! Deus destruiu Babilônia! Não permita que ela seja levantada com o material e mão de obra do Brasil! Não precisamos de Babilônia! Queremos Jerusalém! Queremos ordem e progresso! Queremos Deus e os valores autênticos e imortais! Queremos o amor e a paz! Queremos a segurança, o respeito e a prosperidade completa!”
Minha esperança é que nós, brasileiros, entendamos a força dos movimentos sociais. Existem momentos na história de um povo que é necessário que exista pressão de grupos, para que a voz seja ouvida. Governos corruptos só se assustam com manifestações. A Globo não precisa repensar sua filosofia, ela pode continuar fazendo o que sempre quis fazer, é uma escolha editorial e a imprensa felizmente, é livre no Brasil. Mas a população também é livre para dizer: Não queremos. Viram como um clic faz toda diferença?
Ah! E se as outras mídias, o governo e agências seculares, quiserem defender causas que consideramos anti-cristãs ou anti quaisquer outros valores, devemos fazer uso de manifestações, votos, imprensa, e mídias sociais para com ousadia dizer não. Afinal, como afirmou M. Luther King Jr. “Deus vai julgar, não apenas os atos dos maus, mas o silencio dos justos!”

Rev Samuel Vieira.

Livros que devoram



J. K. Rowling, criadora do conhecido personagem Harry Potter, concebeu na sua obra um livro que tinha o poder de devorar as pessoas. Ele deveria ser lido com cuidado e atenção, porque era perigoso. Quem dele se aproximava precisava fazê-lo com atenção, porque era atrativo, sedutor, mas podia ferir.
Na verdade, todos os livros têm o poder de ferir.
Culturas e gerações inteiras podem ser mudadas por causa de um livro. Livros são capazes de sublevar poderes e sistemas, provocar crises em poderes tirânicos (não é sem razão que, historicamente, muitos livros foram queimados em praça pública porque representavam ameaça). A Bíblia sofreu muitas vezes esta perseguição hedionda. Livros podem alterar toda cosmovisão, tem o poder de devorar, desconstruir conceitos e preconceitos, desmantelar paradigmas e estabelecer uma nova ordem social.
Livros também provocam revoluções individuais. Muitas pessoas foram transformadas ao terem contacto com determinada literatura. Na verdade, gosto de citar o pensamento de que daqui cinco anos, você será a mesma pessoa, exceto pelos amigos que tiver e pelos livros que ler. A leitura de um livro pode libertar, orientar, mudar drasticamente a espiritualidade, finanças, casamentos e perspectivas individuais. Livros são perigosos. Livros são vorazes.
A falta de leitura pode nos arruinar intelectual e psicologicamente. O Rev. Eudaldo silva Lima, grande orador bahiano, costumava afirmar que se não lesse cinco livros mensalmente ele se “asnificava”, isto é, emburrecia, se tornava um asno.
A geração atual lê muito pouco. As informações são fragmentadas e não há muita paciência para ler conteúdos mais reflexivos. Quando você abre a internet para ler as notícias do jornal, certamente não observa os editoriais, cujo conteúdo é mais aprofundado, mas prefere as informações passageiras, as tragédias imediatas, que não acrescentam nada no construto intelectual.
O entretenimento tem tomado também o tempo da leitura. São os facebooks, os what´s up, a web, youtube, que nos privam de um tempo precioso de leitura e reflexão. Esta distância dos livros dificulta a capacidade analítica.
Governos tirânicos e sistemas autoritários temem os livros, porque sabem que eles são perigosos. Quando residi nos Estados Unidos, me encontrei várias vezes com Caio Ferraz, doutor em sociologia pela universidade Sorbonne, que teve que se mudar do Rio de Janeiro por causa de perseguição de policiais inescrupulosos. Sua vida estava por um triz, porque sendo, ele mesmo, oriundo da favela, sabia demais e era crítico demais do sistema. Um dia me relatou que seu pai temendo represálias, o mandou a uma livraria de livros usados comprar volumes grossos de direito e compêndios, para colocar na sala de casa. Ele dizia que sistemas e pessoas embrutecidas, tinham medo de livros.
Rubem Alves afirmou que o maior problema na pedagogia moderna foi transformar a leitura em disciplina, como uma tarefa a ser cumprida, quando deveria ser introduzida no universo das crianças como deleite e prazer. Desta forma as crianças se aproximariam da literatura não como um exercício, mas como algo a ser apreciado, como um chocolate ou um sorvete.

Tenho um amigo que nasceu num contexto no qual a leitura nunca havia sido incentivada. O primeiro livro que ele leu foi em torno dos 30 anos de idade. De lá para cá, nunca mais deixou de ler, e até mesmo tem se arriscado a escrever algumas breves reflexões na página do facebook. Foi vencido pelo prazer. Poderia ter sido devorado pelos livros... e talvez tenha sido!

Rev Samuel Vieira. 

terça-feira, 7 de abril de 2015

Divórcio e adultério de pastores





Porque é que pessoas com doutorado em teologia estão lutando contra "pecados de nível graduado", gente com "conhecimento de gramática" na escola de Deus?

Para o Pastor e teólogo John Piper, isso se resume a uma resposta sucinta: Eles não conhecem a Deus. Se alguém vive realmente no amor do Criador do universo, e não focado em satisfazer suas próprias necessidades, seja ele ou ela, não irá cometer adultério.

John Piper completa ainda:

"Você pode estudar teologia 10 horas por dia durante 40 anos, e ainda assim não reconhecer que Deus é lindo, totalmente satisfatório, o maior tesouro de sua vida." Considerando o modo, e o quanto o diabo sabe a respeito de Deus, vai ele se preocupar com o conhecimento que você tenha sobre o Eterno?

A Bíblia diz: "Conheçamos e Prossigamos em conhecer ao Senhor" Oséias 6: 3a

Conhecer sobre Deus e seus atributos é uma coisa, conhecê-lo de verdade, somente através de uma conversão genuína, comunhão, intimidade, viver e caminhar com Ele, uma atitude contínua e sequencial que não deve e nem pode ser interrompida.

Se houver rupturas nesse relacionamento, imediatamente estaremos sujeitos às setas do inimigo, afinal ele está sempre vigilante e atento para nos atacar.

"Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais." Efésios 6: 12

Por mais que queiramos justificar e relativizar essa terrível questão que atormenta a Igreja da nossa geração, quando tantos líderes vivenciam problemas conjugais, que se desencadeiam quase sempre em separações e divórcios, com o agravante de um novo casamento, não há como esconder que está faltando intimidade com Deus e com a sua inerrante Palavra.

Sou consciente de que essa lavra é dura, mas pertinente e necessária, a priori para eu mesmo, e por isso o faço com amor, mas também muito temor e tremor, para que não esqueça dessa realidade.

Um líder que passa por uma situação como a que me refiro, por mais que existam justificativas e reconhecimento por parte da congregação que pastoreia, via de regra, salvo raríssimas exceções, fica desqualificado para tratar de casos conjugais semelhantes e ou similares dentro do seu rebanho, e o diabo sabe bem disso, tanto que passou a bombardear as investidas dessas tentações no ministério da Igreja.

"Ninguém despreze a tua mocidade; mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza."

Assim que vem à tona qualquer caso de infidelidade, adultério, separação e ou novo casamento na vida do líder e este continua exercendo as mesmas atividades à frente da Igreja como se nada tivesse acontecido, começam a "pipocar" vários casos similares no meio da congregação e até mesmo na vida de outros obreiros auxiliares, e não há mais quem possa tratar, justamente porque aniquilou-se a "autoridade espiritual" para tais aconselhamentos, valendo aí o adágio popular; "por onde passa um boi, passa uma boiada".

A questão é de ordem espiritual, e após o líder, o rebanho é atingido. Como consequência de um acidente de percurso dessa natureza, o pensamento dominante passa a ser o seguinte: se a autoridade maior do ministério não conseguiu solução para o seu problema, não sou eu quem conseguirá, logo a concretização de um divórcio e um novo casamento é a solução mais prática e aceitável.

O inimigo é o primeiro a saber que nas Igrejas atingidas por esse problema, o combate contra esse tipo de pecado fica nulo de pleno direito, pelo menos do ponto de vista humano.

Sempre que alguém abordar o tema à luz da Palavra de Deus não será bem visto, pois estaria afrontando ou confrontando a liderança. Em suma, não se tocará mais neste assunto nessa igreja.

Pensemos: Como é que o diabo vê isso, como é que Deus vê isso?


  • Infelizmente uns não podem mais falar porque já são vítimas da própria situação,

  • Outros não falam para não atingirem amigos, superiores ou liderados envolvidos e;

  • Outros não falam com medo de virem a se envolver em situação semelhante futuramente.


Meu Deus, o que está acontecendo com a Igreja? Me parece que a coisa ficou do jeito que o diabo gosta?

Amados, sejamos líderes ou liderados, doutores ou leigos; vigiemos, oremos e lutemos para conhecer verdadeiramente o Senhor e vivermos conforme a sua Palavra.

"Todavia, aos casados, mando, não eu, mas o Senhor, que a mulher se não aparte do marido. Se, porém, se apartar, que fique sem casar ou que se reconcilie com o marido; e que o marido não deixe a mulher" (I Co. 7:10-11).

"A mulher casada está ligada pela lei todo o tempo em que o seu marido vive; mas, se falecer o seu marido, fica livre para casar com quem quiser, contanto que seja no Senhor." (I Co. 7:39).

Este artigo não foi escrito como afronta ou ferramenta de acusação a quem quer que seja, mas como constatação de uma seta maligna lançada contra a Igreja, contra a qual precisamos estar atentos e vigilantes.

Portanto, oremos, sejamos vigilantes, cuidemos de nós mesmos, do nosso casamento, enfim, da nossa família e acima de tudo, conheçamos mais a Deus.

"Assim, aquele que julga estar firme, cuide-se para que não caia." I Cor. 10: 12

Tenha o Eterno misericórdia de nós!



Pr. Carlos Roberto Silva é pastor da A. Deus e editor do Point Rhema


quarta-feira, 1 de abril de 2015

CHEGOU ABRIL! UM MÊS EXPONENCIAL. ABRIL?! ABRIU!!! UM MÊS EXPONENCIAL.



"CHEGOU ABRIL!
UM MÊS EXPONENCIAL.
ABRIL?!  ABRIU!!! 
UM MÊS EXPONENCIAL.

No primeiro de abril não comece o mês passando trotes e celebrando o "dia da mentira". Se você fez isso peça desculpas a você mesmo. 
Primeiro de abril dá abertura  a um mês exponencial. 

Em 2015 a páScoa é celebrada na primeira semana de Abril. A Páscoa fala da cruz e da ressureição. Perdão e Vida. Vitória sobre o pecado, o diabo, a dor, a morte, os desesperos. Fala do Céu. De Cristo. Da vitória integral!!!

Se relacionarmos abril - tempo da pascoa com o Mês de Nisã, do calendário judaico e dermos uma olhadinha rapida na  Biblia, nossa alma se encherá de bom ânimo. 

A primeira páscoa foi realizada no Mês de Nisã. Tempo de livramento. O mar vermelhor se abriu no Mês de Nisã. Tempo de milagres e grande provisão divina. Jesus morreu e ressuscitou no Mês de Nisã. Tempo de Salvação. Ressureição. Vida. Recomeços. 
A colheita da cevada era feita no Mês de Nisã. Mt 13). Tempo de colheita. Tempo de prosperar de modo integral.

Abril de 2015. Não é tempo de dar lugar a mentira. É tempo de acolher as promessas. Afirmar as verdades biblica. 

Abril de 2015. Semana da Páscoa. Tempo da ressureição e tempos de recomços. 

Em Israel nos dias de Jesus e hoje tambem  Nisã é o tempo da  primavera. Era tempo de Festa. É tempo de renovar esperanças.

Façamos festa na semana da pascoa. Semana da ressureição.Façamos festa em ABril. 
O Senhor restaura nossa sorte. 
Bem-vindo Abril!
Abril!???? ABRIUUUUUU!!!!!
Com orações
Pastor Jeremias Pereira"
No primeiro de abril não comece o mês passando trotes e celebrando o "dia da mentira". Se você fez isso peça desculpas a você mesmo.
Primeiro de abril dá abertura a um mês exponencial.
Em 2015 a páScoa é celebrada na primeira semana de Abril. A Páscoa fala da cruz e da ressureição. Perdão e Vida. Vitória sobre o pecado, o diabo, a dor, a morte, os desesperos. Fala do Céu. De Cristo. Da vitória integral!!!
Se relacionarmos abril - tempo da pascoa com o Mês de Nisã, do calendário judaico e dermos uma olhadinha rapida na Biblia, nossa alma se encherá de bom ânimo.
A primeira páscoa foi realizada no Mês de Nisã. Tempo de livramento. O mar vermelhor se abriu no Mês de Nisã. Tempo de milagres e grande provisão divina. Jesus morreu e ressuscitou no Mês de Nisã. Tempo de Salvação. Ressureição. Vida. Recomeços.
A colheita da cevada era feita no Mês de Nisã. Mt 13). Tempo de colheita. Tempo de prosperar de modo integral.
Abril de 2015. Não é tempo de dar lugar a mentira. É tempo de acolher as promessas. Afirmar as verdades biblica.
Abril de 2015. Semana da Páscoa. Tempo da ressureição e tempos de recomços.
Em Israel nos dias de Jesus e hoje tambem Nisã é o tempo da primavera. Era tempo de Festa. É tempo de renovar esperanças.
Façamos festa na semana da pascoa. Semana da ressureição.Façamos festa em ABril.
O Senhor restaura nossa sorte.
Bem-vindo Abril!
Abril!???? ABRIUUUUUU!!!!!
Com orações
Pastor Jeremias Pereira

KLEBER LUCAS: "NINGUÉM PRECISA CRER IGUAL".

Kléber Lucas diz no Encontro que ninguém precisa “crer igual” Discurso do programa é que Deus criou todas as religiões “Todas as r...