terça-feira, 5 de dezembro de 2017

KLEBER LUCAS: "NINGUÉM PRECISA CRER IGUAL".


Kléber Lucas diz no Encontro que ninguém precisa “crer igual”
Discurso do programa é que Deus criou todas as religiões





“Todas as religiões são muito parecidas, o que as diferencia é a prática” e “Deus criou todas as religiões”, estas foram as principais mensagens do programa Encontro, apresentado por Fátima Bernardes na manhã desta terça-feira (5).

Entre os convidados estavam Érico Brás, ator da Globo; Kenia Maria, adepta de religião afro e ativista; Ana Vilela, cantora que se declara agnóstica – embora não parecia saber bem o que isso significa, o artista plástico Vik Muniz, além do pastor e cantor gospel Kléber Lucas.

No início foram exibidas imagens de seguidores de várias linhas religiosas explicando aquilo que eles creem sobre a vida e a morte. Um umbandista, uma espírita, uma católica e um budista resumiram sua fé em poucas frases. Por causa da edição do programa, a impressão final é de que todos falavam sobre (quase) a mesma coisa.


Vestindo uma camiseta com os símbolos de várias religiões, abaixo, em letras garrafais a palavra “Respeito”, o pastor não falou sobre o aspecto único do evangelho entre os sistemas religiosos nem mencionou o nome de Jesus durante o programa.

O tom do Encontro foi dado por declarações como a do neurocirurgião Fernando Gomes Pinto, que costuma participar do programa. Ele defendeu que todas as religiões “abrem um canal” com Deus para que “a energia floresça”.


Para a Kenia Maria, os negros – por questões históricas que remetem à escravatura – têm algum tipo de dívida com as religiões de matriz africana e quem não deseja conhecer é “racista” e preconceituoso”.

Surpreendeu ver Kléber Lucas chamando a candomblecista Kenia de “irmã” enquanto criticava a “bandeira de ódio” levantada por grupos protestantes contra os adeptos de religiões afro. Ainda que a intolerância religiosa seja uma lamentável realidade em todo o mundo, para o telespectador desavisado fica a impressão que as únicas vítimas são os fiéis de religião de matriz africana.

“Deus foi tão sábio e seus filhos tão diversos que, se ele fizesse uma religião só, não atenderia a todos”, filosofou Fátima. Nenhum dos convidados discordou.

Em seguida, Kléber acrescentou, enigmático: “Falar da intolerância é colocar Deus dentro de uma caixinha ou de uma gaiola”. Externou ainda que sua teologia é muito influenciada pelo humanismo. “Eu gosto da fala do Rubem Alves que dizia: a teologia não é uma rede que a gente tece para pescar Deus, por que Deus não pode ser pescado. A gente pesca a nós mesmos”, enfatizou.


O cantor contou ainda que, na infância, sua família que era evangélica foi muito ajudada por uma vizinha mãe de santo, sem que a religião fosse um empecilho para a solidariedade.

Como em várias edições do programa, o bloco seguinte foi sobre um tópico não relacionado. Usando uma conhecida tática de doutrinação, as ideias apresentadas apenas reforçavam – de modo indireto – o que havia sido dito antes.

O tema eram as ilusões de ótica e o processo de percepção da realidade pelo cérebro. Através de imagens e pequenos filmes, o telespectador foi convencido que a realidade pode não ser o que se vê. Ou seja, tudo é uma questão de perspectiva.

Em outras palavras, fiel ao discurso de Fátima: só existe um Deus, o que muda é a maneira como você olha para ele.

O programa pode ser assistido na íntegra aqui.

por Jarbas Aragão
https://noticias.gospelprime.com.br

sábado, 2 de dezembro de 2017

A COPA DO MUNDO NO BRASIL

Romário afirma: “só Jesus Cristo salva a Copa do Mundo no Brasil”

Resultado de imagem para BRASIL COPA DO MUNDO ROMARIO

Folha – Como o senhor avalia a organização da Copa?
Romário – Lá atrás, quando foi anunciada a Copa no Brasil, a gente comemorou bastante. Eu disse duas coisas: o Brasil tinha não só condições de sediar a Copa do Mundo como ia fazer a maior de todos os tempos. Continuo com a primeira ideia. A segunda eu retiro.
Por quê?
Porque, pelo que estou vendo, as coisas não vão acontecer. Vai ter a Copa, mas infelizmente teremos problemas e não vai ser a melhor de todos os tempos. Vou te falar uma verdade: os evangélicos acreditam que Jesus vai voltar. Só ele para fazer com que o Brasil faça a melhor Copa. Se ele descer nos próximos três anos, aí será possível.
Por comandar o COL e a CBF, Ricardo Teixeira acumula poderes?
Existem pessoas no Brasil bastante competentes para fazer esse papel de comandar o COL, mas ele se acha nesse direito. Mas, até mesmo por conta da idade dele [64], não é bom para ele. Eu colocaria outra pessoa, como é o caso do Henrique Meirelles [ex- -presidente do Banco Central] para a Olimpíada [do Rio, em 2016]. Seria um desgaste muito menor.
Mas ainda dá tempo de uma “solução Henrique Meirelles” para a Copa?
No meu modo de ver, como estamos a três anos da Copa, o senhor Ricardo Teixeira e seus assessores, se chegarem à conclusão de que ainda cabe outra pessoa para que ele saia de foco, seria uma boa ideia. Mas, às vezes, as pessoas têm vaidades que atrapalham. Não sei se é o caso dele, mas pode ser.
Por que convidar Ricardo Teixeira para prestar depoimento na Câmara?
Nós estivemos em cinco sedes da Copa-2014 e vamos às outras. Existia um orçamento no começo da preparação que, no mínimo, dobrou. Segundo o que ouvimos das cidades-sedes, eles fizeram um planejamento que não conseguem cumprir. A Fifa passa para o COL uma recomendação, e o COL faz virar uma obrigação. O Ricardo Teixeira é presidente do COL, presidente da CBF e é da cúpula da Fifa. Não tem ninguém no Brasil e no mundo que possa responder sobre o que realmente está acontecendo como ele. Do jeito que a coisa está, os estádios vão chegar a R$ 15 bilhões, e isso é um absurdo.
E em relação às denúncias de cobrança de propina?
Se ele vier e explicar, serei o primeiro a tirar a assinatura para uma CPI e pedir o mesmo para outros deputados. Mas, desde que houve o pedido de CPI, a cada dia aparece uma nova denúncia, e a coisa vai ficando mais estranha. Definitivamente não sei se vai dar tempo para a Casa levantar tudo. Eu, no lugar do presidente Ricardo Teixeira, viria e responderia. Mesmo que não seja o responsável por uma ilegalidade ou lentidão em alguma obra, ele é o cara do Brasil na Copa e tem que dar as caras.
E se Teixeira não esclarecer?
Se ele não responder a contento, não só vou manter minha assinatura para abrir uma CPI como vou trabalhar para que os outros deputados assinem também. Não é nada pessoal.
Quem é contra a CPI afirma que pode atrapalhar a organização da Copa…
Ser grato ao Ricardo Teixeira por conta da Copa não significa que ele seja a Copa. Entendo que existam fatores políticos que podem prejudicar a Copa, mexendo com uma pessoa do poder dele. Sou do PSB e tenho votado sempre a favor do governo, inclusive em situações que não votaria. Mas eu também ando na rua e sei o que as pessoas cobram de mim.
O que explica tanto tempo de Ricardo Teixeira no poder do futebol brasileiro?
Esta foi uma das melhores perguntas que ouvi nos últimos tempos. Mas vou fazer diferente: responda você. Eu infelizmente não posso te dizer isso. Mesmo que as denúncias sejam verdadeiras, a gente não pode tirar o mérito dele de trazer a Copa para o Brasil. Mas, infelizmente, de lá para cá, não consigo responder por que tanto poder, por tanto tempo e por que aparece tanta coisa. Eu juro que gostaria de responder, mas não sei.
O senhor rachou com o Ricardo Teixeira?
Nunca fui amigo dele, sempre tivemos uma relação cordial. Não tenho nada pessoal contra ele e estou torcendo para que ele consiga se defender das denúncias. Quero que a parte do Brasil que o vê como uma pessoa “do mal” possa reconhecê-lo pela Copa. Agora, se alguma das denúncias for verdadeira, não posso tirar meu nome da CPI. Por eu jogar futebol, isso não significa que eu seja a favor do que é errado. Não vim para Brasília para fazer graça. Engordei 11 kg em dois meses, quase perco minha mulher, deixei de fazer coisas que amo, como jogar pelada, sair na noite para ouvir funk, tomar meu refrigerante e às vezes um champanhe. Foi um sacrifício que fiz. Desculpe a expressão, mas não devo porra nenhuma a ninguém e tenho o direito de falar e colocar as coisas claras para quem votou em mim.
Como classifica a gestão do futebol brasileiro hoje?
Quando as pessoas falam hoje de máfia e futebol, não sei se felizmente ou infelizmente, o nome de Ricardo Teixeira é sempre ouvido. Mas da minha boca não vão ouvir, pois não tenho provas. Mas, definitivamente, existe uma quadrilha no futebol.

Da “FOLHA”

Por FILIPE COUTINHO

Em mensagem de Natal, Trump diz que Jesus é “o presente mais extraordinário de todos”.



Presidente dos EUA faz o discurso mais cristão de sua carreira e é criticado



Jesus é "o presente mais extraordinário de todos"

Criticado pela mídia nos últimos dias por divulgar vídeos que mostram a intolerância religiosa de islâmicos, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump fez nesta quinta-feira (30) o discurso mais cristão de um presidente em décadas.
Ao contrário do seu antecessor Barack Obama, que nos seus oito anos evitou referências diretas ao cristianismo em seus discursos, optando por uma visão mais “inclusiva” da Natal, Trump disse que estava “recuperando” o hábito de um presidente comemorar a data.
Como praticamente tudo que ele fala vira polêmica, a simples frase “É minha tremenda honra desejar aos Estados Unidos e ao mundo um Natal muito feliz”, gerou críticas, sobretudo na imprensa.
Durante a tradicional cerimônia de acender a árvore de Natal em frente a Casa Branca, abrindo oficialmente a série de eventos comemorativos deste mês, durante quase 10 minutos Trump falou sobre o resgate das tradições e valorizou a família.
Ao lado da esposa Melania, ele deu continuidade à tradição que começou quase um século atrás, com o presidente Calvin Coolidge em 1923.
“Desde os primeiros dias de nossa nação, os americanos reconhecem que o Natal é uma época para a oração, louvor e gratidão. De pedirmos por boa vontade, paz e renovação”, enfatizou o presidente.
O bilionário, que venceu as eleições com apoio maciço dos votos evangélicos, possui um “conselho de pastores” que se reúne regularmente com ele desde a campanha.
Ele afirmou ontem em cadeia nacional de TV que, “Para os cristãos, esta é um período sagrado que marca a celebração do nascimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo”. Lembrou ainda que “A história de Natal começa 2.000 anos atrás com uma mãe, um pai, seu bebezinho e o dom mais extraordinário de todos: o amor de Deus para toda a humanidade”.
Trump enfatizou que “Jesus mudou para sempre o curso da história humana”, pois “Não há quase nenhum aspecto de nossas vidas hoje que não tenha sido influenciado por ele: arte, música, cultura, leis e o nosso respeito pela sagrada dignidade de cada pessoa em todos os lugares do mundo”.
Em sua fala, ele agradeceu aos militares, os policiais e os líderes religiosos por suas contribuições pela nação. O tom quase pastoral da mensagem surpreendeu, por não se pautar no politicamente correto que parece predominar no meio político.
Ressaltando que “a família é o alicerce da sociedade”, ele disse acreditar que “o verdadeiro espírito do Natal não é mostrar aquilo que temos, mas quem nós somos. Cada um de nós é um filho de Deus. Essa é a verdadeira fonte de alegria nesta época do ano”. Com informações CBN

por Jarbas Aragão.


É preciso ter esperança!

Resultado de imagem para imagem esperança










O anúncio da Quaker State Metais Co., de 24 de Fevereiro de 1958 foi sugestivo: “Não deixe que lhe tirem até seu cachorro quente”. Ele dizia o seguinte:

“Um homem vivia na beira da estrada e vendia cachorros-quentes. Não tinha rádio, e nem acesso a jornais, mas, em compensação, vendia bons sanduíches. Colocou cartazes anunciando a mercadoria, e as pessoas paravam e compravam seu produto. Com isso, aumentou os pedidos de pães e salsichas, começou a fazer melhorias, contratou pessoas, investiu em maquinários, e acabou construindo uma boa clientela. Seu negócio estava prosperando.

Seu filho, que estava estudando na universidade veio de férias visitá-lo, e o pai lhe contou como o negócio ia bem, como estava entrando no mercado, falou de seus projetos e investimentos para aumentar a capacidade de servir melhor, com mais qualidade e rapidez.

Seu filho retrucou: - “Pai, o senhor não tem ouvido o rádio? Não tem lido jornais? Há uma crise muito séria no país e a situação internacional é perigosa! O senhor corre muito risco e pode perder todo seu investimento por causa do aumento do dólar e das variações das commodities, aumento do desemprego, inflação, o governo e mercado recessivo.

Ele nunca havia falar sobre estas coisas, mas ponderou: - “Meu filho estuda na universidade! Ouve rádio e lê jornais, portanto deve saber o que está dizendo!” Assim, cancelou o pedido de maquinários, não contratou e não fez as ampliações e melhorias necessárias, reduziu os pedidos de pão e salsichas e as vendas começaram a cair do dia para a noite.

Quando alguém questionou sua estratégia, ele disse seguro: “Meu filho tinha razão, a crise é muito séria! Por pouco não entrei na contramão da história”.

Não é de hoje que o Brasil vive uma onda de pessimismo e desânimo. Você deve concordar comigo sobre o quão depressivo tem sido assistir ou ler um jornal. São tantos escândalos, notícias estranhas, oportunismo político e casuísmo jurídico, um jogo claro de ações onde não se considera a oportunidade de se construir um país sério, mas jogos de poderes que parecem brincadeiras infantis de crianças com seus pais, escondendo seu rosto atrás da cortina, deixando todo o seu corpo visível, achando que assim não serão encontrados.


É preciso ter esperança em meio às notícias ruins. Não se abater por causa dos desmandos, crer que é possível, sonhar no meio do caos. O que sustenta gerações e nações é o fato de que alguns sonhadores e lunáticos nunca deixaram de gritar: “Eu tenho um sonho!” Aqui está a diferença entre os derrotados e os vitoriosos.

Rev Samuel Vieira.

terça-feira, 28 de novembro de 2017

Não basta dizer, é preciso fazer.


Resultado de imagem para nao basta dizer tem que fazer

Muitos gostariam que o Sermão do Monte terminasse com a conhecida “lei áurea” -- “Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles; porque esta é a Lei e os Profetas” (Mt 7.12). E o mais famoso sermão de Jesus terminaria com um bom resumo de tudo o que ele havia acabado de ensinar.

Porém, Mateus não termina assim. Ele segue com uma recomendação e conclui com uma pequena parábola, na qual Jesus deixa claro o que ele espera dos seus ouvintes. Uma forma de entender a conclusão desse sermão são os pronomes: “nem todo o que “me” diz”, “aquele que faz a vontade do “meu” Pai”, “hão de dizer-‘me’”, “apartai-vos de ‘mim’”, “ouve as ‘minhas’ palavras”. Eles nos levam a considerar quem ensina, e não apenas o que se ensina. São essas palavras que formarão o texto que definirá o julgamento, que terá como fundamento o que as pessoas fizeram com suas palavras. 

Jesus começa sua recomendação dizendo: “Entrai pela porta estreita” (v. 13). Não é simplesmente um convite, mas um imperativo. No final do sermão, Jesus afirma que existem duas portas e dois caminhos. Um deles leva à morte; o outro, à vida. Jesus reconhece, com tristeza, que são poucos os que entram pelo caminho estreito (v. 14). 

O caminho estreito é o herdado. É o caminho da criação, da redenção, o caminho de Jesus. Não é algo imposto a nós, é o caminho que Jesus trilhou e que agora nos convida a trilhar. O caminho largo é o imposto. Chega a nós pela imposição da maioria, da propaganda, daqueles que não suportam seguir sozinhos pelo caminho da perdição e da destruição. O caminho largo não é congruente com aquilo que fomos criados para ser. 

O caminho estreito é o do reino preparado para nós antes da fundação do mundo. Jesus não diz que quem não andar pelo caminho estreito será punido. É o próprio caminho largo que nos conduz à morte. Seguir pelo caminho largo ou procurar entrar pelo estreito é uma escolha que fazemos.

O caminho estreito envolve o ouvir e o fazer. Na parábola dos dois construtores, a diferença não está no ouvir -- ambos ouviram. A diferença está no fazer. Existem duas opções: ouvir as palavras de Jesus e não praticá-las ou ouvi-las e praticá-las. A casa que cai é composta por crentes que consideram as palavras de Jesus bonitas para se ouvir, boas para se falar e ensinar, mas irreais para serem praticadas. Como diz C. S. Lewis em “O Grande Abismo”:

Só há duas espécies de pessoas no final: as que dizem a Deus: “Seja feita a tua vontade”, e aqueles a quem Deus diz: “A tua vontade seja feita”. Todos os que estão no inferno foi porque o escolheram. Sem essa autoescolha não haveria inferno. Alma alguma que desejar sincera e constantemente a alegria irá perdê-la. Os que buscam encontram. Para aqueles que batem, a porta é aberta.

Jesus afirma na conclusão do sermão que “nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus” (v. 21). Existe uma diferença entre os sinais do poder e da ação de Deus e os sinais de que pertencemos a ele. Deus pode expulsar demônios usando qualquer pessoa. Os milagres são sinais do poder de Deus, não de que pertencemos a ele. Os sinais de nosso pertencimento são os frutos da obediência, do praticar aquilo que Jesus ensinou. São estes os frutos que Jesus espera encontrar naqueles que dizem: Senhor, Senhor! Fé em Jesus não é fé real enquanto não fazemos o que ele nos manda fazer.

Nosso problema com o Sermão do Monte é mais com aquele que ensina do que com o ensino em si. Confiamos neste Senhor? Cremos que ele é bom? Estamos seguros de que ele realmente sabe o que necessitamos? Se não confiamos nele, vamos achar suas palavras bonitas de se ouvir e boas para se falar -- mas não reais para se viver. O julgamento para aqueles crentes que ouvem, mas não praticam, será a ausência da comunhão divina: “Nunca vos conheci”.

• Ricardo Barbosa de Sousa é pastor da Igreja Presbiteriana do Planalto e coordenador do Centro Cristão de Estudos, em Brasília. É autor de “Janelas para a Vida” e “O Caminho do Coração”.

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

BLINDANDO O CASAMENTO: VOCÊ TEM FEITO ISSO?


15 CONSELHOS PARA BLINDAR EFETIVAMENTE SEU CASAMENTO CONTRA O DIVÓRCIO

Blindar o casamento contra o divórcio é uma atitude inteligente. Afinal a família é o nosso maior patrimônio. Infelizmente a maioria esquece de blindar e acaba sofrendo as consequências amargas do divórcio.



Dependendo do tamanho do veículo uma blindagem, pode custar até R$ 75.000,00. É bem verdade que em uma festa de casamento os valores podem passar e muito dessa quantia.

O grande problema é que o valor pago pela festa de casamento não garante uma blindagem contra o divórcio.

Por isso é tão importante investir na proteção do patrimônio mais precioso que temos, a nossa família.

Carros são blindados porque existem assaltantes, bandidos, criminosos e etc…. Casamentos também devem ser blindados, pois existe um exercito do mal que planeja destruir seu casamento todos os dias.

Siga estes 15 conselhos e seu casamento será blindado contra a traição e o divórcio.

01 Priorize a oração e leitura bíblica

A oração e a leitura da bíblia serão meios por onde você receberá os recursos necessários para blindar seu casamento durante os anos. Ore com fé, creia que Deus lhe capacitará em tudo e não despreze a meditação nas escrituras sagradas.

02 Ame com o amor ágape

Nem o amor phileo, muito menos o amor eros são capazes de blindar um casamento.

O amor eros definido por Platão é o amor desejo pelo que ainda não se tem.

O amor phileo explicado por Aristóteles é amor alegria pelo que foi conquistado. Amor entre amigos.

Mas só o amor ágape explicado, demonstrado e encarnado por Jesus Cristo é o que pode realmente blindar um casamento. Pois neste amor o amante se sacrifica para tornar a vida do amado melhor. Ex. Quando um filho está doente os pais gastam tudo o que tem se preciso for, na tentativa de restaurar-lhe a saúde.
03 Faça um acordo com seu cônjuge para reascender a fogueira

Tudo o que desprezamos se deteriora, decompõe-se. Fogo sem lenha se apaga. Casamento precisa de manutenção. Combine com seu cônjuge de nunca permitirem que o frio da indiferença apague o amor do casal.
04 Não tenha seu cônjuge como o messias

Mesmo que seu cônjuge tenha a missão de te fazer feliz, isso não deve ser cobrado. Ele também é um ser humano em construção e carece de paciência e compreensão.

Perfeito só Deus. Quem pode ser a nossa fonte maior de felicidade é o Senhor Jesus, nunca o cônjuge.
05 Busque o equilíbrio na vida sexual

Sexo no casamento é uma dádiva de Deus. Precisa ser desfrutado com amor. Não pode ser o centro do relacionamento ( “sexolatria”: obsessão). Mas não pode ser ignorado.

É preciso haver um equilíbrio visando a satisfação mútua. Nos limites do amor e respeito, a quantidade de vezes por semana é uma particularidade de cada casal.
06 Promova as qualidades do seu cônjuge

Focar nos defeitos do outro é uma péssima ideia, pois desmotiva. Faça a diferença na vida do seu amor. Tome nota de todas as qualidades que você gosta no seu parceiro(a).

Incentive estas qualidades, elogiando. Dê palavras de encorajamento, mostre que você acredita no potencial dele(a).
07 Mantenha o senso de bom humor
Rir de si mesmo é uma prova de maturidade e torna a vida mais leve. Não se cobre excessivamente e muito menos ao seu cônjuge. Para manter o bom humor, olhe sempre o lado positivo da vida.

Uma boa dose de bom humor funciona como um lubrificante social, promove leveza ao relacionamento.
08 Respeite a individualidade sem perder a unicidade

Cada um tem um talento, um dom único. Respeite o outro ao desenvolver a vocação dele, sem sufocá-lo. Quando há liberdade com responsabilidade, o amor e a admiração se fortalecem.
09 Evite amizades intimas com o sexo oposto

Tem muita gente praticando traição emocional. Contam seus segredos para pessoas do sexo oposto. Criam vínculos emocionais. E na grande maioria das vezes o desfecho é um triste divórcio.

Evitar amizades intimas com o sexo oposto é uma atitude sábia.
10 Zele pelo respeito em todos os momentos

Faça um compromisso pessoal de respeitar o seu cônjuge sempre. Respeite-o pelo fato de ser seu cônjuge. Foi você quem o escolheu.

Quando você o respeita apesar de ele não merecer, você ministra uma forte lição. Seu respeito vai tornar claro o quanto ele está sendo injusto. Isso é pagar o mal com o bem.
11 Preste contas sem receios

Quem não deve não teme. O seu cônjuge é seu sócio e merece, sempre que desejar, uma clara prestação de contas. Nunca preste contas com irritação. Explicar maus entendidos com atenção fortalece a confiança.
12 Dedique-se a pequenas mudanças

Pequenas mudanças podem produzir grandes resultados. Se esforce para demonstrar seu amor e admiração com pequenos gestos.

Uma mensagem de texto inesperada com uma mensagem de encorajamento. Um áudio pelo WhatsApp demostrando gratidão por algo que ele fez e você gostou. Use a criatividade e surpreenda.
13 Perdoe sempre que preciso

Perdoar é uma decisão que todo ser humano precisa tomar. Tanto você quanto o seu cônjuge estão em construção, imagine o transtorno que é isso.

É impossível se relacionar sem atritar. Por isso o santo óleo do perdão é mais que necessário é vital. Sempre que seu cônjuge errar e pedir perdão, perdoe de todo coração.

Quem não perdoa perde todas as chances de ser perdoado, até por Deus.
14 Não colecione mágoas

Guardar mágoas além de te fazer mal, vai te impedir de tratar bem seu cônjuge. Se você realmente perdoar de todo coração, não há razão para colecionar mágoas.

De forma intencional as jogue fora. Como fazer isso? Ore, cante, leia, se desafie a fazer o bem ao seu cônjuge.

15 Use de bom senso com as finanças

Se preciso quebre todos os cartões. Gaste menos que você ganha. Procure atividades que gerem renda. Economize o quanto puder. Faça doações e ofertas, isso trás equilíbrio. Façam planejamento financeiro. Essas atitudes vão livrar o casal de serias dores de cabeça.
Conclusão

Aplicar esta blindagem ao seu casamento não vai te custar 75 mil reais, mas tenho certeza que valerá muito a pena. Um casamento de sucesso vale mais que todos os carros blindados do mundo.

A família é o nosso maior patrimônio e merece ser blindada, protegida e cuidada.

retirado: https://sucessonocasamento.com

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

chuva deixa estragos e prejuízos em Caetité. BA.

Forte chuva alaga ruas e praças, causando estragos e transtornos em Caetité.
Uma intensa chuva deixou estragos e prejuízos em Caetité na tarde desta segunda-feira (13).
A chuva começou por volta das 14h, e em poucos minutos encheu os canais de drenagens da cidade que transbordaram. Carros ficaram presos em ruas e foram invadidos pela água. Comércios no centro da cidade foram tomados pela enxurrada. Produtos e móveis ficaram perdidos e levados pela chuva. Diversas ruas ficaram danificadas e murros vieram abaixo. Na região da Praça da Juventude o fluxo de água foi incalculável, sendo nunca visto na cidade. 
A Secretaria de Agricultura, informou que a chuvarada acumulou 80 mm. Os prejuízos foram grandes e ainda não foram calculados. Equipes da prefeitura trabalham nas ruas para sinalizar e interditar ruas. Segundo o Site clima tempo existe a possibilidade de chuvas para os próximos dias. [Caetité Notícias]
A imagem pode conter: céu, atividades ao ar livre e água

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e atividades ao ar livre


A imagem pode conter: atividades ao ar livre

A imagem pode conter: carro e atividades ao ar livre


A imagem pode conter: carro e atividades ao ar livre

A imagem pode conter: atividades ao ar livre

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, carro e atividades ao ar livre

A imagem pode conter: céu, atividades ao ar livre e natureza

vídeo: 


KLEBER LUCAS: "NINGUÉM PRECISA CRER IGUAL".

Kléber Lucas diz no Encontro que ninguém precisa “crer igual” Discurso do programa é que Deus criou todas as religiões “Todas as r...