segunda-feira, 23 de abril de 2018

O que pode sustentar um casamento em crise?


Resultado de imagem para imagens o que salva um casamento
Muitos casamentos estão lutando com dificuldade para se manter em pé. As taxas de divórcio são cada vez maiores e o nível de frustração no casamento é perceptível, dando a impressão de que o casamento, enquanto instituição, está falido. Em 1970, 89% do nascimento das crianças se davam em famílias de pais casados, hoje esse número caiu para 60%.
Deixe-me tentar fazer um contraponto, citando outras pesquisas:
Apesar da percepção negativa do casamento, 62% dos casados se consideram felizes ou “muito felizes”, e estudos longitudinais comprovam que 2\3 dos casamentos infelizes se tornarão uniões felizes num período de cinco anos se os cônjuges persistirem não se divorciando (Lynda Waite: Does divorce make people happy?).
Outra pesquisa mostra ainda que os casados apresentam índices mais elevados de satisfação com a vida que os solteiros e os divorciados, e que filhos que crescem numa família na qual os pais são casados e estão presentes, tem experiência de vida 2 a 3 vezes mais positivas que lares desfeitos (W. Bradford Wilcox, The State of our unions, pg 84).
Considerando estes dados, quero sugerir cinco fatores que ajudam pessoas a manterem seus relacionamentos quando passam por crises:
Valores – Estes valores podem ser familiares, religiosos, culturais, espirituais, mas que contribuem diretamente para lutar pela manutenção da casa. Muitos casais ainda continuam juntos porque creem na indissolubilidade do casamento, possuem tradições e convicções claras de família ou religião e estão tentando encontrar uma solução para a amargura e indiferença no relacionamento. Creio que este é o fator principal, entre todos.
Memórias – Outros casamentos sobrevivem por causa do histórico construído a dois. São memórias de paixões, de conversas, viagens, fotografias. Então, ao avaliar tudo o que aconteceu o casal decide lutar e perseverar, a despeito da crise que está enfrentando.
História – Um casamento não se constrói no vácuo, mas possui histórias, vínculos, planos, investimentos, projetos. Sonhos foram compartilhados e executados conjuntamente. Não é fácil simplesmente pegar a história que se construiu numa parceria e jogá-la na lata de lixo. Isto dá fôlego para superar embates temporários.
Família – Raramente há um casamento no qual a família não teve envolvimento. Ao casar trazemos cultura familiar, dramas, genealogia e condicionamentos históricos. Ganhamos “novos pais”, ou criamos “novos desafetos”. Toda família tem um tio maluco, mas também um primo “gente boa”. Isto sem falar nos filhos, que se tornam um elo poderosíssimo. Muitos casais sobrevivem por causa deles.
Business: Embora este me pareça o vínculo mais frágil, não deve ser desconsiderado. O divórcio sempre traz perdas no estilo e qualidade de vida, e casais podem se tornar mais resilientes e perdoadores quando pensam em todo desgaste que o aspecto econômico pode trazer.


Nenhum destes fatores, são fortes o suficiente para impedir a ruína de um casamento, mas ao considerá-los, certamente, podemos encontrar disposições melhores para ainda acreditar que um novo capítulo, marcado pelo perdão e novas atitudes, poderão sustentar a trajetória de um homem com uma mulher. 

http://revsamuca.blogspot.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A Presciência de Deus.

Que controvérsias têm sido engendradas por este assunto no passado! Mas que verdade das Escrituras Sagradas existe que não se tenha ...