DIA DA POESIA, UMA POESIA A VOCÊ MULHER.

                                          



     Essencialmente  Mulher ,

Em palavras e rimas vou lhe falar
És sensível, delicada,valente e firme
És braço forte , mas também rainha do lar
O paradoxo de ser mulher
É o que vos torna especial
És única em sua essência e similar de forma geral

Mulher cristã ,
Instrumento de Deus  ,escolhida do Senhor
És um tesouro na terra 
Eleita  para servir ao Criador
És pedra preciosa, perola rara
Mulher, expressão de afeto e amor
Que  transparece seus sentimento de forma clara

Mulher mãe, mulher esposa, mulher família
Alterna entre ser maternal e nunca deixar de ser filha
Aos pais dispensa especial atenção
Aos filhos devota total dedicação
Ao lar dá um toque ornamental
Deixa sua casa com mais vida
Se embeleza para o marido, és por ele querida

Mulher, que quer lugar ao sol
Busca ser eximia profissional
Pretende destacar-se no que faz
Servir de parâmetro e iluminar como um farol.
Estuda , se prepara  e se profissionaliza
O tempo para esse momento se alterna
O certo é  que vais com garra
E no tempo certo seu sonho se realiza.

Mulher, ó  mulher de Deus
Que adjetivos poderia lhe atribuir
És formosa ,mesmo não estando em forma
Seu padrão não está no padrão desse mundo
Mas sua revista de moda é a biblia
È por ela que se atualiza é dela que  se alimenta
Tua formosura não se encaixa
Naquilo que os estilistas deste mundo desenhou
Mas está na obediência daquilo
Que o Deus dos céus a ti ordenou

Ó mulher , serva ,filha ,esposa ,mãe
Ó mulher és mapa ainda não desenhado
És território de minério não explorado
És DNA não replicado
Você é simplesmente o que é
Perfeita em sua essência
Só porque é essencialmente mulher.

                                                             Cléria Fernanda Silva de Souza 

Feita para a departamental da SAF da IPB Utinga dia 14/03/2014. (NOITE DA POESIA.)

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

EM PATOS PB: IPB VIROU FOGUEIRA EM NOITE DE SÃO JOÃO.

PODE O CRENTE DIVORCIAR E CASAR DE NOVO?

Grande Descoberta Arqueólogica, por Rabino Marcos Barreto