sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Você tem sido vítima de quem?








Provavelmente uma das perguntas que mais surge quando se descobre que uma mulher era diariamente violentada por seu marido seja esta: Por que ela continuou com ele tanto tempo já que ele era tão violento?

Para quem está do lado de fora da situação, é muito fácil criticar, julgar ou acusar a mulher que ficou em silêncio; mas somente ela sabe o que passou e quais pensamentos e sentimentos vinham à tona.

Este tipo de situação nos mostra como a palavra tem poder e igualmente como o medo nos trava. O marido agressivo, que na verdade é um covarde, ameaça sua esposa todos os dias. Ele diz: Se você contar para alguém eu te mato; você é minha e eu mando em você; todos acreditarão em mim e qualquer coisa que você disser eles não acreditarão; sua família ficará do meu lado, você merece apanhar porque você não presta, etc.
Imagine estas palavras entrando todos os dias na mente de uma pessoa. Isto se torna uma lavagem cerebral. A vítima, inconscientemente, passa a acreditar que tudo que ele diz é verdade e que ela é a grande culpada de tudo que está acontecendo em sua vida. Juntamente com a culpa, vem a sensação de medo, de ser mais punida do que está sendo. Das coisas piorarem. O que ela não percebe é que pior do que está, é difícil piorar.

O mesmo comportamento covarde é usado por pedófilos e outras pessoas que apresentam comportamentos ligados à perversão. Por isso é muito importante que no início de qualquer relacionamento, a pessoa observe o comportamento do outro. Caso você perceba que há algo de errado, de agressivo ou de perverso; a decisão será sua se continua ou não.

Algumas pessoas vivem a ilusão de que é possível mudar o outro, mas se o outro for um sociopata, como você poderá mudá-lo? Se o prazer do outro é ter alguém como um objeto de suas perversões, como você irá tirar isso dele? Infelizmente, é mais fácil a pessoa se tornar vítima do outro do que mudá-lo, já que o outro sabe usar as palavras certas para te manipular.

Pegue agora estes exemplos citados acima e faça a seguinte reflexão: Que palavras tenho escutado recentemente ou durante toda minha vida e que têm me feito vítima de alguém? Estou sendo um objeto, estou sofrendo e o medo está me fazendo cada vez mais vítima do outro? E as palavras que tenho dito e pensado diariamente; será que tenho criado medos que estão me prejudicando dia após dia?

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

18 razões para o Cristão não ser Vegano.

O Veganismo é um conjunto de práticas focadas nos direitos dos animais que,  por consequência, adota uma dieta baseada em vege...